Saúde

Piauí é Estado com mais mortes por AVC no Brasil.

O estado registra 69 óbitos a cada 100 mil habitantes.

Saúde Redação Piripiri 30 de outubro de 2016 10:55h

No ranking nacional, o Piauí é proporcionalmente o Estado que lidera o número de mortes por Acidente Vascular Cerebral, apresentando 69 óbitos por grupo de 100 mil habitantes. Os dados foram divulgados neste sábado (29) durante o Simpósio Piauiense de Doenças Cerebrovasculares – AVC em foco, evento criado para tentar apresentar formas de prevenção ao AVC, assim como informar sobre seus diversos aspectos. Convidados renomados abordaram o tema.

O neurocirurgião Benjamin Vale explicou ao Jornal Cidade Verde deste sábado (29), como é causado o Acidente. “Ele faz o extravasamento de sangue, aumenta a pressão dentro do crânio, leva ao cérebro, mata a célula e a região que aquela célula iria comandar no corpo fica sem comando e aí você apresenta o déficit, se você pegou a área da fala, você fica sem fala, se pegou a área de movimento do braço, você pode ficar sem movimento no braço". 

Um dos desafios para fazer com que as ocorrências de AVC diminuam, é montar a Rede de Atenção à doença cérebro vascular. “O benefício é a saúde das pessoas e a Rede, você vai desde a Atenção Básica, que é a prevenção ao acesso para você ter estruturas que possa atender as pessoas com a qualidade, com devido direito que elas têm, e a ação é onde temos nas estruturas, capacitação para tratar o paciente quando o evento acontece”, explicou o neurocirurgião. 

O neurologista Marx Barros falou sobre prevenção secundária, que são meios para evitar um segundo Acidente. “Temos que investigar os fatores de risco, as causas, como hipertensão arterial, colesterol elevado, diabetes, obesidade, para tratar isso e diminuir o risco de ter AVC novamente”.

Reconhecer os sinais e antecipar o socorro minimizam as sequelas do acidente e salvam vidas. Normalmente, o ataque vem acompanhado de tontura, dormência, formigamento ou dor de cabeça aguda e repentina. Além disso, o indicado é pedir para a pessoa sorrir. Se a boca tiver deformada, fique atento. Ou então, se ao pedir um abraço, a pessoa não conseguir levantar um dos braços, é outro sinal de que pode está tendo um AVC. Por fim, outra suspeita é a pessoa não conseguir cantar uma música, caso seja solicitada.


Com informações do Jornal Cidade Verde