Política

"Espero que minha atitude sirva de lição" diz vereadora que abriu mão de salário

Será que parlamentares de outras cidades teriam a mesma coragem?

Política Redação Piripiri 05 de janeiro de 2017 11:34h

A vereadora Iris Moreira (PP) quer implementar no município de Valença do Piauí uma forma diferente de fazer política. A parlamentar- que foi a mais votada na cidade- resolveu abdicar do próprio salário em prol da população e sonha que a atitude dela sirva de exemplo. 

"Andando nas casas durante a campanha, ficamos muito preocupados com a realidade. A gente passa muito tempo do trabalho para casa e não observamos a realidade da cidade, ficamos praticamente cegos. Quando você desperta, vê que uma atitude dessa é muito pequena. Se imaginarmos, todos nós vereadores, temos um emprego, temos do que viver...Não temos ideia da necessidade das pessoas e só sentimos quando vamos para a ponta. Minha atitude é muito pouca, mas é alguma coisa e espero que sirva de lição para alguns. Alguns não podem doar todo, mas podiam dividir, fazer uma parte", disse a vereadora. 

Desprendida, ela conta que não sabe quanto recebe um vereador da cidade. Já em relação ao que fazer com o salário, Iris Moreira parece decidida e diz que pretende dividí-lo  em duas partes. 

"Não tive a curiosidade ainda de olhar quanto é o salário, mas ele será dividido em duas partes: uma será aplicada em auditorias de contas, pois a cidade de Valença não cresce e não se desenvolve e não é por falta de recursos. Acredito que pela falta de fiscalização. Então, a gente precisa de orientação. A outra parte será voltada para o povo como se fosse uma verba de gabinete e será aplicada em obras que gerem emprego e as pessoas possam ter um renda", disse a vereadora que também é professora e empresária. 

Iris Moreira finaliza a entrevista ao Notícia da Manhã dando mais uma lição de empatia e altruísmo. 

"Hoje eu posso viver tranquilamente. Então, eu imagino: se eu posso, por que eu também não poderia fazer isso por outras pessoas? Eu já fazia isso, mas a nossa parte social era pequena. Agora, eu posso fazer mais e maior e vou buscar não só com o salário, mas de outras formas. Se começamos a interpretar a política de uma forma diferente, de ajuda ao povo, teremos uma país melhor. Minha parte é muito pequena, mas vou me esforçar muito para mudar a realidade. Às vezes, a gente não pode dar 1 kg de açúcar, mas podemos dar uma colher e se juntarmos várias colheres, conseguimos 1 kg", finaliza. 

Cidade Verde