Infotech

Grupo no WhatsApp é usado para induzir crianças ao autosacrificio e suicídio

"Seita" usa o aplicativo na capital Teresina, Piauí.

Infotech Dheyno Firmino 09 de janeiro de 2017 10:37h

Família da menina - Foto: Divulgação

Família da meninaFoto: Divulgação

Uma menina de 11 anos, moradora do bairro Cristo Rei, na zona Sul de Teresina, pode ser a primeira pista para as autoridades policiais chegarem a pelo menos um grupo que usa a Internet, as redes sociais e aplicativos como WhatsApp para induzir e incentivar as pessoas, inclusive crianças, ao autoflagelo, à automutilação e ao suícidio.

Em outubro do ano passado, os pais da menina de iniciais I.R.J.S, de 11 anos, começaram a perceber o comportamento estranho dela e rapidamente descobriram sinais do que estava acontecendo com a criança.

Apesar de não responder e nem conversar com membros do grupo "Pensamento Suicida", a menina apareceu com riscos e arranhões nos braços, sugeridos pelos "orientadores" do grupo como "primeiro passo para fase seguinte".

A menina, portanto, começava a seguir o ritual do grupo. Ela riscou e arranhou os pulsos com grafite.

Daí para frente não demorou muito tempo para os pais descobrirem no celular dela as mensagens do grupo. Isso ocorreu em dezembro de 2016. Aflitos, apagaram tudo, todas mensagens e grupos e deixaram a filha sem acesso ao celular.

O PAVOR - Os pais viram os riscos e arranhões e começaram a questionar a menina. Ficaram apavorados ao descobrirem que no celular dela havia um grupo do aplicativo Whatsapp com o nome de "Pensamento Suicida".

No grupo, segundo relato da mãe da garota, as conversas induziam e incentivavam os participantes a autoflagelo, automutilação e ao suicídio.

"Felizmente descobrimos cedo o que estava acontecendo. Mas é apavorante. Não quero isso para ninguém", diz a mãe da menina.

SINAIS - Observar mudança de comportamento da criança ajuda a descobrir o problema mais cedo.

O pai da menina I.R.J.S contou que a família percebeu que ela estava com um comportamento diferente há algumas semanas antes de descobrirem o que estava se passando.

“Ela não falava muito com a família, estava triste e agressiva. Certo dia fui ligar do celular dela e acabei encontrando vários grupos com mensagens de morte, depressão e tristeza", disse.

Ele conta também que depois de ver as mensagens no celular chamou ela para conversar e a menina confessou tudo.

“No braço dela havia marcas de cortes. Ela se automutilou com o próprio grafite pois para participar do grupo era necessário que ela fizesse isso”.

Os pais apagaram todos os grupos da qual ela fazia parte e hoje a menina tem crises de choro ao ouvir falar sobre o assunto.

Hoje, eles acompanham melhor os amigos e grupos da qual a adolescente faz parte.

OUTROS GRUPOS - O "Pensamento Suicida" é apenas um dos muitos grupos e seitas existentes em redes de relacionamentos na Internet usados para induzir pessoas aos mais diversos desvios de comportamentos e a cometer crimes.

O grupo está cheio de adolescentes e age como um jogo de videogame, no qual os participantes precisam cumprir tarefas para passar à fase seguinte.

OUTRO CASO - O caso da garotinha do Cristo Rei não é isolado. Fonte do PIAUÍ HOJE informa que ocorrência igual teria sido relatada por outra criança na cidade de São Miguel do Tapuio, no Norte do Piauí. Lá, a Secretaria de Assistência Social do Município teria sido acionada e estaria cuidando do caso. É aconselhado que esses tipos de ocorrências sejam comunicados imediatamente as autoridades policiais para que os grupos e seus líderes sejam identificados, localizados e punidos.

ALERTA AOS PAIS - O caso de I.R.J.S, a "Menina do Cristo Rei", serve também de alerta aos pais para que fiquem atentos aos grupos que participam e que tipo de ferramentas e aplicativos seus filhos têm acesso e usam para receber e enviar dados e informações. O que é bom entretenimento ou meio de obter e transmitir conhecimento pode se transformar em algo muito perigoso para quem usa, para seus amigos e familiares.

SIGILO GARANTIDO - Por questões de segurança e para preservar a identidade da menina e dos pais, não divulgamos os nomes e nem o endereço da família. Mas esses dados estão em poder da direção do portal Piauí Hoje e à disposição das autoridades desde que mantenham a vítima e sua família em absoluto sigilo e total segurança.

CONTEXTO GERAL - Com o desenvolvimento dos meios de comunicação digitais, aplicativos para celulares e redes sociais, muitas crianças e adolescentes estão reféns de sites de conteúdo impróprio, grupos de conversa e entretenimento que influenciam a sua formação enquanto indivíduo. Muitos pais, por se achar desatualizados ou por não ter tempo, não controlam ou tem conhecimento do que seus filhos veem nesses meios digitais.

Ao mesmo tempo em que facilitou a comunicação entre povos do mundo inteiro, a Internet, com suas ferramentas e aplicativos de fácil acesso tornou-se também uma arma perigosa nas mãos de bandidos "invisíveis".

A Internet, as redes sociais e seus grupos são ótimos. Trazem, levam e facilitam a comunicação em todo o mundo. Mas também podem ser muito perigosos porque também são usados para prática de inúmeros tipos de crimes.

Fonte: Site Piauihoje

WhatsApp deixará de funcionar em alguns Smartphones no final do ano

O WhatsApp confirmou a data da desativação do aplicativo para algumas versões...

Infotech Dheyno Firmino 07 de junho de 2016 09:17h

O WhatsApp confirmou a data da desativação do aplicativo para algumas versões de sistemas operacionais móveis para o último dia de dezembro de 2016. A aposta nas versões mais recentes é clara e a lista de celulares que a partir de 31 de dezembro deixam de suportar o WhatsApp inclui modelos como o Nokia S40, o Nokia Symbian S60, as versões com Windows Phone 7.1 e sistemas Android 2.1 e Android 2.2. Entram também na lista todos os BlackBerry, independentemente da versão do sistema utilizado. “Quando criamos o WhatsApp, em 2009, as pessoas olhavam os celulares de uma forma muito diferente. [...] Cerca de 70% dos smartphones vendidos usavam sistemas operacionais da BlackBerry e da Nokia. Os sistemas operacionais da Google, Apple e Microsoft, que correspondem a cerca de 99,5% das vendas atuais, representavam menos de 25% dos celulares vendidos na altura”, diz um comunicado da empresa. A empresa garantiu, ainda no comunciado, que "foi uma decisão dificil", embora garanta que foi a mais correta para assegurar a qualidade das comunicações.

Saiba o que significa o código de segurança que aparece no WhatsApp

Segura e novidades na nova versão do aplicativo.

Infotech Dheyno Firmino 12 de abril de 2016 00:14h

Após a ativação da criptografia do WhatsApp, realizada no início desta semana, o aplicativo liberou uma página específica para que os usuários pudessem "verificar o código de segurança". Na tela, um QR Code seguido de uma série de números, que causou muito mais dúvidas do que esclareceu possíveis dúvidas sobre as mudanças no app de bate-papo.

Para ter acesso ao recurso, basta clicar na mensagem que o WhatsApp liberou para avisar você sobre a proteção e selecionar a opção "Confirmar". Na sequência, escaneie o código no celular do seu contato ou peça para que ele escaneie o seu para confirmar se as mensagens enviadas são criptografadas de ponta-a-ponta.



Caso o seu amigo não esteja fisicamente perto de você, a melhor opção é compartilhar o código numérico, para que haja a checagem manual. Nesse processo de verificação, poderá aparecer um círculo vermelho para indicar que a criptografia não está ativa em um dos dois celulares ou um sinal verde, que confirma a proteção extra. 

Um dos motivos que justificam o sinal vermelho, segundo a assessoria do WhatsApp, é que possivelmente o seu aplicativo não tenha sido atualizado para a última versão.

Como informa a empresa, esse processo de verificação não é obrigatório. Ou seja, a criptografia de suas conversas não depende disso para ser ativada. O procedimento serve única e exclusivamente para informar ao usuário sobre o status da proteção de suas conversas.  

Fonte: BOL


Snapchat facilita a prática da espionagem nas TVs

App que permite a troca de mensagens, fotos e vídeos instantaneamente captados.

Infotech Dheyno Firmino 31 de maro de 2016 09:53h

É comum em todas as emissoras se observar certos cuidados para evitar vazamentos de informações.

São históricos os casos ocorridos no passado entre vários programas, alguns se valendo da contestável presença de um X9 em convívio com o inimigo.

É difícil saber se os X9 continuam em operação. Desconfia-se que sim, no entanto alguns dos novos meios disponibilizados passaram a facilitar a vida do interessado em saber a vida dos outros.

É o Snapchat, aplicativo que permite a troca de mensagens, fotos e vídeos instantaneamente captados. Alguns repórteres têm se utilizado dele durante o trabalho e o que sempre foi feito em segredo, agora acaba sendo visto por quem não deveria. Inclusive da concorrência. A diferença é que agora fica fácil de saber quem é o X9.

O que se verifica é que a nossa vida, a cada dia, vai se transformando num verdadeiro "Big Brother".

E para todo aquele que gosta de escancarar, virou sopa no mel.

Fonte: Bol


WhatsApp - Golpe à vista!

Golpe que promete videochamada no WhatsApp se dissemina no app

Infotech Dheyno Firmino 23 de fevereiro de 2016 10:06h

O WhatsApp virou mais uma vez alvo dos cibercriminosos. Segundo a empresa de segurança digital russa Kaspersky Lab, há uma mensagem rondando entre os usuários do aplicativo com a falsa promessa de ativar o recurso de videochamada, que ainda não existe na plataforma.

Na mensagem, que chega por meio de algum contato conhecido, os criminosos induzem a vítimas a acessarem um link. O clique leva o usuário a uma página com formato específico para dispositivos móveis e que irá solicitar o número de telefone para continuar.

"Com essa informação os criminosos podem inscrever a linha em serviços premium, que irão cobrar taxas das vítimas, diminuindo o saldo da linha ou enviando a cobrança na conta mensal", afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil. 

Para disseminar a falsa mensagem e atingir o maior número de vítimas, o site malicioso informa que para receber o suposto recurso, é necessário convidar dez amigos ou compartilhar o convite em três grupos para ativa-lo. Ao completar esta etapa, o usuário será direcionado para diversas redes de afiliados cuja finalidade será oferecer a instalação de softwares de origens duvidosas para serem baixados no telefone.

Como explica a Kaspersky, as mensagens usam a técnica do medo para assustar o usuário e forçá-lo a realizar o download. Esta tática é típica de um scareware --campanha que visa alavancar um software suspeito ou com benefícios limitados

Fonte: BOL

A Motorola vai deixar de existir no mercado de smartphones neste ano.

Fim da Motorola: veja o que muda nos smartphones 'Moto by Lenovo'

Infotech Dheyno Firmino 09 de janeiro de 2016 08:41h

Motorola deixará de existir e vai dar lugar à 'Moto by Lenovo' em 2016 (Foto: Luana Marfim/TechTudo)

Motorola deixará de existir e vai dar lugar à 'Moto by Lenovo' em 2016 (Foto: Luana Marfim/TechTudo)


Motorola vai deixar de existir no mercado de smartphones em 2016. Os próximos Moto XMoto G e Moto E chegarão às prateleiras com a marca 'Moto by Lenovo',  empresa chinesa que comprou a fabricante em 2014. O anúncio aconteceu na última quinta-feira (8), e com ele muitas dúvidas surgiram na cabeça de quem é fã dos celulares da marca.

Com dúvidas se a assistência técnica continuará existindo? Quer saber quando as mudanças entram em vigor? O TechTudo preparou esse guia respondendo a essas e outras perguntas sobre como as mudanças afetam o usuário. 

A Motorola vai deixar de existir completamente?

Nos smartphones, sim. Desde que comprou a Motorola, a Lenovo possuía duas marcas de celulares: a Vibe, com o nome da empresa, e a Moto, sob o domínio da Motorola. Segundo o site americano CNET, tudo será unificado sob a tutela da empresa chinesa em 2016 e os populares X, G e E terão a marca “Moto by Lenovo”. É a mesma estratégia adotada pela Microsoft que manteve apenas Lumia após comprar a divisão de celulares da Nokia.

Através de sua assessoria de imprensa no Brasil, a Motorola confirmou a informação através de comunicado: "A Motorola Mobility continua a existir como parte do grupo Lenovo e vai liderar as áreas de engenharia e design em todos os nossos produtos móveis. No entanto, para a nossa estratégia de marketing, vamos adotar duas marcas em smartphones e wearables e seguir daqui para frente, com Moto e Vibe globalmente."

Já no mercado de telecomunicações, a Motorola Solutions continuará existindo com desenvolvimento de tecnologia de redes, patentes e venda de equipamentos. A única “lembrança” que ficará nos aparelhos é o icônico “M”, que continuará sendo usado pela Lenovo.

Quando a mudança entrará em vigor?

Sucessor do Moto X Force já deve vir com o a nova marca da Lenovo (Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo)

Não há previsão exata de quando o marca será extinta, já que a Lenovo disse apenas que isso ocorrerá este ano. O mais provável é que os novos telefones já cheguem com a nova “Moto by Lenovo”, o que costuma acontecer no início do segundo semestre. Além disso, a empresa ainda precisa revelar mais detalhes sobre o futuro do site da Motorola, dos serviços de atendimento e da estrutura física da empresa.

Comprei um telefone da Motorola. Continuarei recebendo assistência?

Sim! Quanto a isso, nada deve mudar. Afinal, a Lenovo já controla a Motorola há quase dois anos e também vende seus produtos no Brasil. Sendo assim, é bastante provável que as assistências técnicas sejam apenas renomeadas nos próximos meses, mas o usuário deve ficar atento às autorizadas da sua cidade para não ser pego de surpresa em caso da mudança de endereço. As garantias também continuarão válidas.

Os Moto X, G e E continuarão sendo vendidos no Brasil?

Muito provavelmente. A Lenovo já manifestou interesse em vender seus celulares no Brasil e até lançou o Lenovo Vibe A7010 por aqui no último mês. Assim, os Moto X, G e E devem também continuar disponíveis, a menos que a empresa resolva focar apenas nos telefones Vibe. No entanto, considerando a popularidade dos “Moto”, isso é uma possibilidade remota, por enquanto.

Os aparelhos atuais continuarão recebendo atualizações do Android?

Fim da Motorola pode mudar forma como aparelhos são atualizados (Foto: Reprodução/Elson de Souza)

É provável que sim. A Lenovo já tinha comprado a Motorola quando a empresa lançou as atualizações do Android 5.0 (Lollipop) e 6.0 (Marshmallow). O que pode mudar é a política de updates da nova “Moto” para os futuros sistemas, como no tempo de liberação dos pacotes e aparelhos contemplados. Isso, porém, demanda um posicionamento oficial da Lenovo sobre o assunto.

 E Moto 360, Moto Maker e outros produtos? Vão acabar também?

Ainda não se sabe. O fim da Motorola deve trazer algumas reorganizações na empresa e que pode extinguir alguns produtos. O relógio Moto 360 e o serviço de personalização Moto Maker são bastante populares e têm mais chances de serem preservados. No entanto, acessórios como fones de ouvido e carregadores podem adotar apenas a marca da Lenovo.

A Motorola “sobrevivente” pode voltar a fabricar smartphones?

Ela já fabrica. Embora pouco se fale, a Motorola Solutions possui alguns aparelhos com Android voltados para o público corporativo. São telefones bastante robustos como LEX L10, dispositivo de mão LTE para missão crítica desenvolvido especialmente para forças de Segurança Pública, permitindo conexão internet em banda dedicada e exclusiva, além de integração com telefonia celular e padrão de rádio P25.

Quantos aos consumidores domésticos, isso dependerá dos acordos da empresa com a Google, primeira compradora em 2011, e com a Lenovo. Por enquanto, a Motorola Solutions demonstrou pouco interesse em voltar para o ramo, ao contrário da Nokia, que já lançou um tablet e pode apresentar um smartphone Android esse ano.

A Lenovo pode lançar um Moto com Windows 10 Mobile?

A pergunta que todo fã do Windows Phone tem feito desde que a Lenovo comprou a Motorola do Google deve continuar sem resposta. Embora a empresa chinesa tenha revelado interesse no sistema da Microsoft, parece pouco provável que ela adote na marca “Moto”, que tradicionalmente usa Android. Porém, só nos resta aguardar o que vem por aí.

Fonte: Techtudo

Black Friday: veja que cuidados tomar na hora da compra e como reclamar

lojas e sites brasileiros vão participar da Black Friday, megaliquidação...

Infotech Dheyno Firmino 23 de novembro de 2015 10:40h

Na próxima sexta-feira (27), lojas e sites brasileiros vão participar da Black Friday, megaliquidação inspirada em ação tradicional dos Estados Unidos. Parte do comércio se adiantou e já está fazendo ofertas.

Em anos anteriores, muitos consumidores que tentaram aproveitar as promoções enfrentaram problemas na hora da compra, como falta de produtos que tinham sido anunciados e sites que saíram do ar. Só o Procon de São Paulo recebeu mais de 1.300 reclamações relacionadas ao evento.

Para evitar problemas durante o período de liquidações, é importante que o consumidor tome alguns cuidados e conheça seus direitos. Em caso de problemas, é necessário saber, também, a quem recorrer.

Confira algumas dicas.

Tome cuidado ao escolher a loja

Think Stock

Quando for fazer a compra, verifique se o site da loja tem dados básicos, como endereço, telefone fixo ou filial física. Observe informações como razão social e CNPJ, e confirme esses dados no site da Receita Federal (http://zip.net/bfkvrH, link encurtado e seguro). Se a situação da empresa estiver descrita como "baixada", "cancelada" ou "inativa", desista da compra.

O Procon-SP mantém uma lista com sites que devem ser evitados pelos consumidores porque foram alvo de muitas reclamações, foram notificados e depois não responderam ou não foram mais encontrados. Quando escolher uma loja, confira se ela não está na lista:http://zip.net/bgnDcw (link encurtado e seguro).

Procure por selos de garantia

Divulgação

Neste ano, o consumidor tem dois selos de garantia para usar como referência na hora da compra. As lojas que receberem o selo Black Friday Legal 2015 (foto), da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, se comprometeram a fazer ofertas reais e a entregar no prazo. A lista de lojas que têm o selo pode ser conferida no site www.bflegal.com.br.

O selo do site Reclame Aqui será dado a lojas que têm boa reputação, com base em reclamações registradas nos últimos seis meses pelos usuários do site. Para receber o selo, as empresas têm, ainda, de assinar um compromisso de atender o consumidor da melhor maneira possível durante e após o evento. O link com a lista das lojas que receberam o selo será divulgado durante a semana.

Consumidor tem o direito de se arrepender 

Shutterstock

Por lei, o consumidor tem um prazo de sete dias para desistir da compra feita fora do estabelecimento comercial (por telefone, em domicílio, telemarketing, catálogos, internet etc.). Essa troca não precisa ser justificada, e pode ser feita mesmo que o produto não tenha defeito. O prazo começa a ser contado a partir da aquisição do produto ou de seu recebimento.

Propaganda enganosa é proibida

Getty Images

Fátima Lemos, assessora técnica do Procon-SP, orienta que o consumidor salve as telas do computador em que aparecem os produtos que ele quer comprar; é uma maneira de buscar seus direitos caso, na hora do pagamento, o preço aparecer diferente, por exemplo.

A lei diz que toda informação transmitida ao consumidor, por meio de publicidade, embalagens ou mesmo declarações dos vendedores, torna-se uma cláusula contratual, que deve ser cumprida por lojistas e fabricantes.

Produtos com defeito exigem conserto ou troca

Getty Images

Produtos com defeito devem ser consertados ou trocados, estejam eles em promoção ou não. Por lei, o prazo que o consumidor tem para reclamar de problemas aparentes ou de fácil constatação é de 30 dias (produtos não duráveis) ou 90 dias (bens duráveis).

Segundo Fátima Lemos, do Procon-SP, o lojista pode, primeiro, propor um conserto. Se o conserto for feito e o problema persistir, o consumidor tem direito à troca do produto. Ela afirma, porém, que em alguns casos a troca deve ser imediata, como quando o aparelho nem chega a funcionar ou é entregue com uma tela quebrada, por exemplo. 

Troca de produto sem defeito não é obrigatória

Getty Images

A troca ou a devolução de produtos que não têm defeito não é obrigatória. Mas, se a loja permitir a troca por um determinado prazo, ela deve informar isso claramente ao consumidor.

Dificuldade para comprar também gera queixas

Getty Images

Nos últimos anos, muitos consumidores enfrentaram dificuldades para finalizar suas compras na internet porque a grande procura fez os sites não funcionarem direito. Fátima Lemos diz que essa dificuldade também pode gerar uma reclamação formal. Mais uma vez, é necessário documentar o problema, guardando imagens das páginas com instabilidade, por exemplo.

De quem é a responsabilidade?

Getty Images

A responsabilidade pela venda e pela entrega dos produtos pela internet é sempre de quem vendeu ou anunciou, alerta Fátima Lemos, do Procon-SP. Se houver atraso na entrega, por exemplo, o lojista não pode passar a responsabilidade para os Correios ou a empresa privada que era responsável pelo envio.

Atualmente, grandes sites funcionam como "marketplaces". Eles vendem produtos que eles mesmos entregam e também abrigam, em seus sites, outras empresas.

O site das Americanas, por exemplo, vende produtos de floriculturas e pet shops, entre outros. Neste exemplo, as Americanas são as responsáveis por qualquer problema que o consumidor tiver, uma vez que toda a compra é feita no seu endereço.

Procon e Juizado Especial podem ajudar

Getty Images

Quem tiver problemas durante a Black Friday deve tentar, primeiro, resolver a questão com a empresa. Caso o problema não seja resolvido, o passo seguinte é buscar órgãos de defesa do consumidor.

O Procon-SP fará um plantão especial para a Black Friday. Reclamações poderão ser feitas pelo telefone 151 (só para a cidade de São Paulo), pelo Facebook (www.facebook.com/proconsp) e pelo Twitter (www.twitter.com/@proconspoficial) do órgão usando a hashtag #ProconSPdeolhoBlackFriday.

Outra opção é levar o caso aos Juizados Especiais Cíveis, que atendem a causas de valores inferiores a 40 salários mínimos (R$ 31.520). Para causas que envolvam valores inferiores a 20 salários mínimos (R$ 15.760), não é preciso contratar advogado.

Site do governo também recebe queixas

Reprodução

O consumidor também pode registrar sua queixa no site www.consumidor.gov.br, mantido pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão ligado ao Ministério da Justiça.

O site vai intermediar a comunicação do consumidor com a empresa. Ela terá dez dias corridos para enviar uma resposta. Quem fez a queixa poderá, depois, dizer se a resposta atendeu à sua expectativa ou não

Fonte: BOL

Hedy Lamarr, a atriz de Hollywood que possibilitou a criação do Wi-Fi

Hedy Lamarr, doodle do Google homenageia uma grande artista e inventora.

Infotech Dheyno Firmino 09 de novembro de 2015 08:39h

A Google decidiu homenagear esta segunda-feira a atriz austríaca e norte-americana Hedy Lamarr com o Doodle especial que celebra o seu 101º aniversário.


Hedy Lamarr já foi descrita como a “mulher mais bonita do mundo”, dizo The Telegraph. Mas não foi apenas pela sua beleza e pelo seu desempenho como atriz que Hedy Lamarr ficou conhecida na sua época. A sua vida foi muito mais rica.

Hedy Lamarr teria feito 100 anos ontem. Ela foi uma atriz austríaca que ficou conhecida por seus papeis em filmes durante os anos 1940. Mas, muito mais do que isso, ela foi uma inventora que possibilitou todas as tecnologias de comunicação sem fio que conhecemos. O Wi-Fi só existe graças a ela.

Em 1941, quando já era uma estrela em Hollywood, Lamarr se aliou ao compositor George Antheil e patenteou a ideia de um sistema de frequências múltiplas aleatórias – juntos, eles desenvolveram o conceito para ajudar a criar códigos com uma criptografia inquebrável para a comunicação da Marinha dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial.

O sistema criado por Lamarr permitia proteger comunicações sem fio ao variar a frequência em que os sinais são transmitidos: o canal era mudado sem que o inimigo soubesse quais bandas poderia bloquear pra barrar a transmissão. Ela chegou a esse conceito após uma discussão com George Antheil em um jantar: o compositor propôs coordenar transmissor e receptor para que eles mudassem o canal de comunicação simultaneamente. A ideia era usar isso para proteger torpedos teleguiados lançados pela Marinha – uma transmissão emitida pelo inimigo poderia tirá-los de seu trajeto.

Inicialmente, a Marinha recusou a ideia, mas os dois patentearam o sistema. Por mais de duas décadas ele foi praticamente inútil. Isso começou a mudar nos anos 1960, quando foi provado que o sinal era mais forte quando transmitido em múltiplas frequências. Isso possibilitou diversas formas de comunicação wireless, como a telefonia celular – o conceito de frequências múltiplas aleatórias é o que faz com que as conversas por celular não fiquem cruzadas.

E não só isso, o desenvolvimento de redes sem fio deve muito a Lamarr e Antheil. Bluetooth e Wi-Fi não existiriam sem o sistema criado pela dupla. Lamarr morreu em 2000, mas o legado da sua invenção está cada vez mais presente nas nossas vidas. Então obrigado, Hedy, por permitir que a gente acesse a internet em qualquer lugar. 


Você pode ler mais sobre a história da criação de Lamarr e Antheil no link a seguir (em inglês): [Gizmodo US]

Fonte: Gizmodo

Feminismo no Enem 2015? Questões sobre feminismo comentada nas provas do Enem.

Enem 2015... Simone Beauvoir...

Infotech Dheyno Firmino 26 de outubro de 2015 17:21h

Simone de Beauvoir: Nazista, pedófila, misândrica e misógina

Artigo de Lucian Vâlsan

Conforme os setores não feministas da sociedade vão se tornando cada vez mais expressivos e claros, os setores ainda não conscientes da natureza venenosa dessa ideologia reagem com um conjunto de argumentos que apenas revelam que a realidade fatual não é ainda inteiramente conhecida pelo público.

Algum tempo atrás, um grupo de feministas de cafeteria tentava me convencer que o feminismo não é tão mau quanto eu digo que é e que se eu apenas lesse mais sobre feminismo, eu eventualmente entenderia. Como um exemplo para apoiar essa tese, as citadas feministas me recomendaram que lesse os escritos de Simone de Beauvoir, a Marxista-feminista conhecida por seu livro O Segundo Sexo. Naturalmente aquelas feministas foram incapazes de conceber que alguém tivesse levado sua ideologia a sério o suficiente para ler sua literatura e então, racionalmente, acabar por rejeitá-la. Como para qualquer outro culto, tal coisa é inconcebível para os verdadeiros crentes da seita.

No cabeçalho desta postagem, uma série de alegações foi feita sobre a eminente feminista e é justo que se apresentem provas – o que é exatamente o que será feito nas linhas a seguir.

Entre 1943 e 1944, quando a França estava sob ocupação nazista, Simone de Beauvoir trabalhou como diretora de sonografia para a Rádio Vichy.1  Radio Vichy era a estação de rádio estatal na assim chamadazone libre(zona livre) da França, após a capitulação da República Francesa diante da Alemanha nazista em 1940. Dizemos “assim chamada” porque o regime de Vichy, embora teoricamente neutro do ponto de vista militar, era de fato um colaborador ativo do regime nazista2 e hoje é fato reconhecido por todos os lados envolvidos que a Rádio Vichy era porta-voz de fato da propaganda nazista nas ondas de rádio francesas.

Defensores de Beauvoir podem dizer que ela foi obrigada pelas circunstâncias a trabalhar lá, assim como muitos indivíduos agora alegam ter sido forçados a colaborar com a “Securitate” durante o regime comunista. Mas os manuscritos de Beauvoir durante o período, revelados posteriormente, contam uma história diferente.

Mesmo autores feministas, como a Dra. Ingrid Galster, que dedicou anos de sua vida a estudar Simone de Beauvoir, têm que admitir, mesmo a contragosto, que a atitude manifesta por Beauvoir como diretora de sonografia na máquina de propaganda nazista era, no mínimo, de colaboracionismo sutil3 e a forma pela qual ela chegou àquele trabalho não foi via coerção – mas sim por uma escolha perfeitamente consciente. Beauvoir já era membro do sindicato de funcionários públicos e poderia ter optado por trabalhar numa prefeitura, por exemplo. Mas ela tinha que escolher trabalhar em algo que não fosse ensinar, pois sua carreira como professora estava encerrada – apesar de já ter as qualificações e o prestígio necessário para ensinar, dado que ela tinha tido o segundo melhor desempenho como estudante de doutorado em sua geração, ficando apenas atrás de seu amante de toda a vida, Jean-Paul Sartre.4

A razão pela qual ela não podia mais lecionar está relacionada exatamente à pedofilia e a Sartre. Em 1943, Simone de Beauvoir foi demitida por comportamento que levara a corrupção de menor.5

Novamente, os apologistas de Beauvoir poderão apressar-se em dizer que o momento em 1943 foi um incidente singular ou, como já me disseram, um incidente simplesmente inventado pelos nazistas que não podiam suportá-la após entenderam que ela uma mulher marxista independente e empoderada. Mas isso está longe da verdade.

O interesse sexual de Beauvoir por crianças é um tema recorrente em toda sua vida. Ela estava entre os primeiros filósofos que tentaram unificar o gênero literário que se iniciou nos anos 1930 (e durou até os anos 1980 na Europa Ocidental) chamado pedofilia pedagógica feminina.6 Ela tentou essa unificação com seu ensaio “Brigitte Bardot e a Síndrome de Lolita”, publicada pela primeira vez na revista Esquire em 1959 e republicada várias vezes até meados dos anos 1970. Nesse ensaio, Beauvoir glorifica Brigitte Bardot por seu aspecto físico infantil, que retém a perfeita inocência inerente no mito da infância e então a apresenta como uma Houdini para meninas, que as liberaria e empoderaria para além das correntes que as subjugavam.7, 8

O ensaio de 1959 foi só o começo. Em 1977, Beauvoir, juntamente com a maior parte intelligentsia marxista francesa, assinou uma petição exigindo nada mais, nada menos que a legalização da pedofilia e a libertação imediata de três indivíduos condenados a cumprir longas sentenças de prisão por explorar sexualmente vários meninos e meninas com idades entre 11 e 14 anos. A petição assinada por Beauvoir e Sartre, entre outros, foi publicada no Le Monde e dizia, entre outras coisas:9

Um tempo tão longo de prisão para investigar um simples caso “vicioso” em que as crianças não foram vítimas de qualquer violência, mas ao contrário, testemunharam perante os magistrados que consentiram – embora a lei atualmente negue-lhes o direito de consentir – um tempo tão longo na prisão nós consideramos escandaloso em si. Hoje eles estão em risco de ser sentenciados a uma longa pena de prisão, por terem tido relações sexuais com menores, tanto meninos quanto meninas, ou por terem encorajado e tirado fotografias de suas brincadeiras sexuais. Nós acreditamos que há uma incongruência entre a designação como “crime”, que serve para legitimar tal severidade, e os fatos próprios; mais ainda entre a lei antiquada e a realidade cotidiana em uma sociedade que tende a conhecer sobre a sexualidade de crianças e adolescentes […].

Assim, na opinião de Beauvoir, crianças de 11 anos na França do final dos anos 1970 tendiam a ser seres sexuais. Desde que a puberdade não acontecia e até hoje ainda não ocorre naquela idade para a grande maioria das crianças, é condizente nomear a defesa feita por Beauvoir como nada além de uma advocacia da pedofilia, a despeito da definição escolhida para a palavra.

A petição de 1977 deflagrou toda uma discussão em nível da sociedade na França sobre as leis relativas à idade do consentimento, uma discussão em que os abolicionistas (entre os quais Beauvoir e seu amante) se uniram no Front de libération des Pédophiles (FLIP – a Frente de Liberação dos Pedófilos) e as intenções dos membros da FLIP eram explicadas claramente por eles próprios na discussão transmitida em abril de 1978 pela Radio France Culture.10 A FLIP seria lembrada como uma pioneira no movimento dos pedófilos franceses, embora a organização em si não tenha durado muito devido a suas discordâncias internas.11

Além de Beauvoir e Sartre, houve outras pessoas envolvidas na advocacia da pedofilia naquele período, inclusive pessoas que então acabaram por liderar os destinos da França – a exemplo de Bernard Kouchner e Jack Lang, respectivamente o Ministro da Saúde e o Ministro da Educação (!) no início dos anos 2000, no primeiro mandato de Jacques Chirac.12

Tudo isso torna Beauvoir não apenas uma apologia da pedofilia, mas uma apoiadora atuante. Porém, o que faz dela uma abusadora é sua atividade de recrutar alunas, abusando-as e passando-as para Jean-Paul Sartre, às vezes separadamente, às vezes em ménage à trois integrado. O Telegraph escreve, numa crítica do livro de Carole Seymour-Jones, Simone de Beauvoir? Meet Jean-Paul Sartre (“Simone de Beauvoir? Conheça Jean-Paul Sartre”), um livro dedicado a analisar o relacionamento de Beauvoir com Sartre, o seguinte:13

Por longos períodos, o casal se tornou um “trio”, embora os arranjos raramente funcionassem bem para a terceira parte envolvida: ao menos duas das ex-alunas de Beauvoir se viram a tornar-se primeiro suas amantes, então de Sartre, apenas para o casal fechar-lhes as portas, quando a diversão perdia a graça.[…]

Para Seymour-Jones, os casos de Beauvoir com suas estudantes não eram lésbicos, mas pedófilos em origem: ela as estava “preparando” para Sartre, na forma de “abuso infantil”.

Para Beauvoir (assim como para Sartre), a idade não importava, contanto que as parceiras fossem mais jovens do que ela e Sartre.14 A possibilidade de que as outras pudessem se ferir ou ser exploradas não passava nem remotamente pelo radar da eminente feminista, que pensava que “preparar” garotas para Sartre lhes tirar a virgindade (palavras de Sartre, não minhas) era em si e por si um ato de empoderamento sexual para aquelas meninas.

Mas se as escapadas com sabor de nazismo e pedofilia não convencem você do caráter questionável de Beauvoir, vamos dar uma olhada em seus escritos feministas, que estão tão repletos de misoginia que é difícil encontrar equivalente em outros setores da sociedade. Este aspecto por si não é surpreendente, visto quefeminismo é em si uma ideologia misógina. Mas, não vamos tergiversar.

O livro de cabeceira de Beauvoir, O Segundo Sexo, considerado por feministas contemporâneas “notavelmente atual” – tinha o seguinte a dizer sobre mulheres casadas:15

A esposa se alimenta dele como um parasita; mas um parasita não é um mestre triunfante.

Mais de um quarto de século depois, em 1975, em um diálogo com outra feminista, Betty Friedan, Beauvoir esclareceria sua posição além de qualquer dúvida razoável. Em uma discussão sobre a forma de compensar as mães que ficam em casa e cuidam de crianças, Beauvoir respondeu de forma inequívoca:16

Não, nós não cremos que qualquer mulher deva ter essa escolha. Nenhuma mulher deveria ser autorizada a ficar em casa para criar crianças. A Sociedade deveria ser totalmente diferente. As mulheres não deveriam ter essa escolha, exatamente porque se houver tal opção, mulheres demais irão fazê-la. É uma forma de forçar as mulheres em uma certa direção.

Está claro? Na visão da eminente feminista, as mulheres são um monte de criaturas inertes, incapazes de escolher o que é bom para elas como adultos responsáveis. De fato, ninguém além de Simone de Beauvoir e sua ideologia marxista-feminista sabem o que é melhor para as mulheres. Portanto, nenhuma mulher deveria serautorizada a escolher qualquer coisa que contrarie Beauvoir.

No mesmo diálogo, ela é ainda mais clara:17

Em minha opinião, enquanto a família e o mito da família e o mito da maternidade e o instinto maternal não forem destruídos, as mulheres continuarão a ser oprimidas.

Realmente o ódio de Beauvoir em relação à maternidade e às mães em geral é muito óbvio ao longo de todo o seu livro. Vejamos alguns exemplos:

A maternidade relega a mulher a uma existência sedentária; é natural para ela ficar em casa enquanto os homens caçam, pescam e vão à guerra.18

[A mãe] é planta e animal, uma coleção de coloides, uma incubadora, um ovo; ela assusta as crianças que estão envolvidas com seus próprios corpos e provoca risos disfarçados de homens jovens, porque ela é um ser humano, consciência e liberdade, que se tornou um instrumento passivo da vida.19

E quando essa importante feminista começou a atacar os corpos das mulheres, ninguém a pôde parar:

A atitude física evocada pela servidão menstrual constitui um pesado aleijamento.

[…] o corpo de uma mulher – e especificamente uma menina – é um corpo “histérico” no sentido de que não há, por assim dizer, distância alguma entre a vida física e sua realização fisiológica. O turbilhão trazido pela descoberta, pela menina, dos problemas da puberdade, as exacerba. Porque seu corpo é suspeito para ela, ela o escrutina com ansiedade e o vê como doente: ele é doente.20

As glândulas mamárias que se desenvolvem na puberdade não têm papel na economia individual da mulher: elas podem ser removidas a qualquer momento em sua vida.21

Beauvoir então passa a explicar em seu livro como é maligna e opressiva a família para o desenvolvimento de uma menina. Se o pai tem a audácia de ter orgulho e reconhecimento pelos sucessos de sua filha, isso é outra evidência da opressão e imposição de vassalagem para a filha em relação ao pai.22 Mas se os pais são relativamente poupados, as mães que ousam disciplinar suas filhas têm uma reprovação pior ainda da renomada feminista:

As mães – veremos – são cegamente hostis ao liberar suas filhas e, mais ou menos deliberadamente, atuam em persegui-las ainda mais; para o menino adolescente, o esforço para se tornar um homem é respeitado e ele já recebe grande liberdade. A menina é obrigada a ficar em casa; suas atividades externas são monitoradas.23

Então, está claro? O fato de que alguns pais e mães não deixavam suas filhas saírem após certos horários na França ocupada por nazistas no meio da Segunda Guerra Mundial constitui opressão. E tenha em mente que Beauvoir minimiza este aspecto – sobre o qual ficam sérias dúvidas de que era generalizado – enquanto meninos de 13 e 14 anos estavam lutando na guerra,24 inclusive para mantê-la a salvo para poder escrever sua infame “filosofia” e produzir propaganda para o regime nazista – um regime que também mantinha meninos de 14 e 15 anos de idade em suas tropas.25 Fico quase tentado a dizer que ela deveria ter reconhecido seus privilégios. Mas não vou dizer.

A hipocrisia dessa mulher é fascinante em termos de estudo e revoltante ao mesmo tempo. Simone de Beauvoir, venerada até hoje como um grande ícone do “bom” feminismo dos anos 1960 e estudada nos “diálogos feministas” da Escola Nacional de Ciência Política e Administração Pública de Bucareste, defendeu com grande fervor o regime revolucionário de Ioseb Dzhugashvili (também chamado de Iosif Vissarionovich Stalin) até muito tempo após os horrores do Stalinismo terem se tornado conhecidos na Europa Ocidental.

Em outras palavras, enquanto tantos romenos deixados na URSS estavam sendo deportados para osGulags, enquanto a elite intelectual do meu país estava sendo dizimada em campos de concentração como Râmnicu Sărat, Pitești ou Aiud e enquanto até mesmo meninos de 12 anos eram torturados em prisões comunistas porconspiração contra a ordem socialista,26 Simone de Beauvoir publicava O Segundo Sexo em que ela explicava como a liberação das mulheres estava intimamente relacionada ao destino do socialismo27 – ao mesmo tempo negando veementemente, juntamente com seu parceiro, as atrocidades stalinistas que ocorriam naquele mesmo momento. E nós, pagadores de impostos romenos, agora pagamos para estudantes irem àquela Escola de Ciência Política e Administração Pública e estudar essa pessoa desprezível, como se ela fosse alguém a se admirar. Bom, esse é um exemplo real de misoginia patrocinada pelo Estado! Mas eu tenho a impressão de que a elite feminista sente-se muito confortável com isso.

Prezadas feministas de cafeteria, se vocês nos recomendam ler Simone de Beauvoir como um exemplo de feminista “do bem”, então vocês ou não a leram e a estão mencionando apenas para parecer cultas, ou, ao contrário, vocês a leram e concordam com o que ela defendeu e nesse caso, qualquer ser humano normal e não feminista teria que ser, no mínimo do mínimo, insano, para acreditar que vocês têm as melhores intenções em mente.

A ousadia com que Beauvoir propõe nada menos que a proibição sumária de certas escolhas para mulheres por essas escolhas não caberem em sua linha ideológica é o exemplo absoluto de utopia doentia para quem água quente é um conceito novo e para quem o planeta gira em torno dela. E se não girar assim, então há um problema com o planeta e ele deve ser proibido. A verdade deve ser proibida se ela for “incorreta”.

Se essas feministas fossem realmente sinceras quando dizem que querem combater a misoginia e ampliar o espectro de escolhas para as mulheres, então começariam por jogar na lata de lixo da História todo o arsenal ideológico vindo de Simone de Beauvoir. Mas, não fazem isso e nunca farão, porque feminismo é hipócrita em seus melhores dias e totalitário por natureza e prática em seus dias comuns. E nos seus piores dias, o feminismo exige o extermínio dos homens.

Prezadas feministas, sua declaração pública de admiração por Simone de Beauvoir diz muito mais sobre vocês mesmas do que qualquer coisa que qualquer um pudesse jamais dizer. Vocês mais uma vez provam que os melhores argumentos antifeministas vêm diretamente das próprias feministas. E por isso, nós lhes estendemos nossos agradecimentos!

Referencias:
Agradecimento especial a Atodiresei pelo auxílio com a documentação.

Fonte da imagem:Wikimedia Commons

1 http://my.telegraph.co.uk/expat/stephenclarke/10151800/10151800/ – Stephen Clarke – The women that France needs to remember – or forget; The Telegraph, published at September 5, 2013

2 https://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/Holocaust/VichyRegime.html – The Holocaust: The French Vichy Regime

3 http://www.lexpress.fr/culture/livre/ce-qu-on-n-ose-pas-voir-sur-beauvoir_822547.html – Dupuis Jérôme – Ce qu’on n’ose pas voir sur Beauvoir; L’Express, published at January 3, 2008

4 http://www.telegraph.co.uk/culture/books/non_fictionreviews/3672534/Simone-de-Beauvoir-Meet-Jean-Paul-Sartre.html – Tim Martin – Simone de Beauvoir? Meet Jean-Paul Sartre; The Telegraph, published at April 12, 2008

5 http://opinionator.blogs.nytimes.com/2013/05/19/savile-beauvoir-and-the-charms-of-the-nymph/ – Andy Martin – The Persistence of the ‘Lolita Syndrome’; The New York Times, published at May 19, 2013

6 ibidem

7 ibidem

8 Simone de Beauvoir – Brigitte Bardot and the Lolita Syndrome (with many half-tone illustrations) p.10; 14 – First Four Square Edition – The New English Library LTD., 1962

9 We received the following communication: Le Monde, January 26, 1977 – https://www.ipce.info/ipceweb/Library/00aug29b1_from_1977.htm

10 Sexual Morality and the Law, Chapter 16 of Politics, Philosophy, Culture –Interviews and Other Writings 1977-1984, p.275

11 Le Mouvement Pédophile en France – http://archive.wikiwix.com/cache/?url=http://bibliobleue.fpc.li/Revues/Gredin/N0/MvtFrance.htm

12 http://www.theguardian.com/world/2001/feb/24/jonhenley – Jon Henley – Calls for legal child sex rebound on luminaries of May 68; The Guardian, published at February 24, 2001

13 Ibidem 4

14 http://www.biographile.com/6-degrees-of-infatuation-an-ode-to-frisky-french-writers/28496/ – Kelsey Osgood – 6 Degrees of Infatuation: An Ode to Frisky French Writers; Biographile, published at February 11, 2014

15 Simone de Beauvoir – The Second Sex, p. 378 – Translated by Constance Borde and Sheila Malovany-Chevallier; Vintage Books – Random House Inc., New York, 2009

16 Sex, Society and the Female Dilemma – A Dialogue between Simone de Beauvoir and Betty Friedan; Saturday Review, publicat la 14 Iunie 1975 – p. 18 http://64.62.200.70/PERIODICAL/PDF/SaturdayRev-1975jun14/14-24/

17 Female Dilemma, op. cit. p.20

18 Second Sex, op. cit. p.70

19 Ibidem p.392-393

20 Ibidem p.257-258

21 Ibidem p.43

22 Ibidem p.255

23 Ibidem p. 258-259

24 World War II: Conscription and the Age of Soldiers – http://histclo.com/essay/war/ww2/age/ww2-age.html

25 Hitler’s Boy Soldiers – http://www.historyplace.com/worldwar2/hitleryouth/hj-boy-soldiers.htm

26 Târgșor, communist prison for children – National Romanian Television report

27 Second Sex, op. cit. p.60


Fonte: http://www.vistadireita.com.br/blog/simone-de-beauvoir-nazista-pedofila-misandrica-e-misogina/

Já cansou de seu aparelho de telefone? Não está mais atendendo suas expectativas

Saiba qual é a hora certa de trocar de Smartphone

Infotech Dheyno Firmino 14 de outubro de 2015 08:43h

O celular dá vários sinais de que está "velhinho", por isso vale ficar de olho em indícios de que esses eletrônicos estão chegando ao fim da vida. Travamentos frequentes, lentidão e botões frouxos são alguns deles.

"Em média, um smartphone pode durar cerca de dois anos", diz Rafael Serafim, executivo de negócios da Qbex, fabricante nacional que acaba de lançar sua primeira linha de telefones. Ainda de acordo com o executivo, esse tempo pode sofrer variações consideráveis de acordo com o aparelho.

Felipe Tani, gerente de marketing de produto da Microsoft, garante que a vida útil de um smartphone é um dado diretamente ligado ao cuidado que o usuário tem com o aparelho. "Quedas em excesso, além de riscos e aranhões no corpo do dispositivo, criam a possibilidade de algum componente interno se deslocar e causar problemas", conta. Ele destaca ainda possíveis falhas mecânicas e eletrônicas causadas, por exemplo, pelo uso de carregadores não originais.

Fim da linha

"Um smartphone é um aparelho extremamente complexo, por isso não se pode falar de modo genérico em sinais que alertam para a necessidade de troca", destaca Tani. Segundo ele, em alguns casos, o simples ato de desligar e ligar novamente o aparelho pode resolver uma série de problemas.

Mas o fim da vida útil do aparelho pode estar ligado a sinais mecânicos e técnicos básicos que indicarão a necessidade de substituição. "Um dos indícios mais evidentes é quando a bateria começa a apresentar duração inferior enquanto utiliza aplicações que sempre usou", destaca Serafim. Travamentos, lentidão e falhas frequentes também são características que podem estimular a troca.

Já a obsolescência pode ser assunto mais sério, coisa que nem uma visita à assistência técnica pode resolver. Um aparelho obsoleto é aquele que não consegue fazer atualizações de apps ou sistemas operacionais porque não tem especificações de hardware suficientes. Isso pode impedir que o dispositivo realize algumas funções.

Segundo Tani, vários outros fatores podem indicar uma troca iminente, inclusive a necessidade de uma tela maior, câmera melhor, mais memória, não necessariamente problemas técnicos. "Não existe um ponto genérico a destacar, a obsolescência do smartphone está intrinsecamente ligada ao perfil de uso do aparelho e do usuário", conclui. 

Fonte: BOL


Microsoft anuncia seu primeiro notebook, o Surface Book.

Microsoft Surface Book é um laptop com potência gráfica e 12 horas de bateria

Infotech Dheyno Firmino 07 de outubro de 2015 12:00h

A Microsoft sempre diz que o Surface pode substituir seu laptop, mas ele não consegue ocupar o lugar de um notebook mais parrudo. O novo Surface Book, no entanto, consegue.

Eu estou extremamente animado com o Surface Book. Este é um laptop com processadores Intel Skylake, chip gráfico da Nvidia e doze horas de bateria. Doze horas de bateria com um chip gráfico potente? É um sonho.

O Surface Book possui tela PixelSense de 13,5 polegadas com densidade de pixels de 267 PPI. A touchscreen não possui camada entre o vidro e o display, então parece que você está tocando diretamente nos pixels – e ela tem suporte a caneta.

O teclado é silencioso, e as teclas tem 1,6 mm de espaço entre elas. O trackpad de vidro tem cinco pontos de toque e foi otimizado pela equipe de engenharia do Windows 10.

O chip gráfico usa Nvidia GeForce usa memória GDDR5, e foi ajustado pela equipe do Xbox para maior desempenho. Segundo a Microsoft, ele é duas vezes mais rápido que o MacBook Pro.

O corpo é todo feito de metal, mas o design é notoriamente distinto dos MacBooks. E a bateria promete durar 12 horas. São 7,3 mm de espessura e 726g.

O Surface Book está em pré-venda e custa a partir de US$ 1.499; ele estará disponível a partir de 26 de outubro.


Apple libera iOS 9.0.2 para todos os usuários

Apple libera iOS 9.0.2, atualização traz cinco melhorias e correções de falhas

Infotech Dheyno Firmino 05 de outubro de 2015 15:57h

Apple liberou iOS 9.0.2  nessa quarta-feira (30/9) a segunda correção de erros da nova versão do sistema operacional utilizado no iPhone, iPod e iPad.

A atualização traz cinco melhorias e correções de falhas, pesando aproximadamente 66 MB no iPhone. O iOS 9 foi lançado no último dia 16.

O iOS 9.0.2 já pode ser baixado por todos usuários do sistema da Apple e corrige um problema com o ajuste de ligar ou desligar o uso de dados celular por aplicativos, assim como uma falha que podia fazer com que a tela girasse incorretamente ao receber notificações.

Além disso, a atualização soluciona um problema que impedia a ativação do iMessage para alguns usuários e corrige uma falha que podia fazer com que o backup do iCloud fosse interrompido, caso fosse iniciado manualmente.

Por fim, o pacote melhora a estabilidade dos podcasts. A Apple também liberou de surpresa a terceira versão para desenvolvedores do iOS 9.1.


Skype, serviço de comunicação online e vídeo conferência em pane!

Falha mundial faz o serviço ficar fora do ar.

Infotech Dheyno Firmino 21 de setembro de 2015 16:03h

Usuários não conseguem fazer ligação nem vídeo conferência devido a falha mundial no Skype. Veja como usar mesmo com o problema em computadores e celulares.

ATUALIZAÇÃO

A Microsoft acabou de divulgar que descobriu o erro e está trabalhando para reconectar todos os usuários e restaurar as funções. Também informou que o bug não afetou o Skype para empresas.


Uma falha mundial no Skype, ainda não comentada em detalhes pela empresa, deixou o serviço de comunicação fora do ar hoje. No site oficial foi divulgada uma nota explicando que o erro afetou diversas partes do comunicador e que já estão trabalhando para resolver, mas sem previsão.

Vídeo conferência

Se você já estiver conectado, não conseguirá mudar o status e os contatos irão aparecer como off-line, mesmo que estejam online. Como consequência, não será possível fazer vídeos conferências.

Mensagem instantânea

No geral, as conversas estão funcionando. Somente algumas mensagens em grupos não estão sendo entregues. No entanto, se você não está logado, terá dificuldades para entrar no Skype pelo celular e computador. Tente usar a versão web pelo site https://web.skype.com/, que está funcionando normalmente até o momento.

Informações sobre crédito e detalhes do perfil podem levar algum tempo para aparecerem e páginas da Comunidade Skype também estão demorando para carregar. Por enquanto a solução é usar a versão web e aguardar que a Microsoft estabilize o serviço e resolva a falha mundial.

Fonte: Psafe Blog

Facebook: Dica pra você que tem página "FanPage" no facebook.

Como adicionar outros administradores em páginas do Facebook em 4 passos!

Infotech Dheyno Firmino 03 de setembro de 2015 08:36h

Com a disseminação do Facebook, grande parte das empresas já entendeu a importância de ter uma página na rede social. Porém, de nada adianta ter uma página no Facebook se ela não for bem administrada e atualizada regularmente.

O problema é que, muitas vezes, por questões de tempo ou outras limitações, administrar uma página nem sempre é tão simples assim, e pode ser necessária uma ajudinha nessa tarefa, e a solução pode ser adicionar novos administradores a uma fanpage do Facebook. Veja como neste tutorial abaixo:

Passo 1. Acesse a sua página do Facebook.

Passo 2. No Painel Administrativo, clique em “Editar Página” e, depois, em “Cargos adminstrativos”.
Acesse as opções administrativas pelo painel da sua páginaAcesse as opções administrativas pelo painel da sua página.

Passo 3. Uma tela com todos os administradores será exibida. Para adicionar um novo administrador, digite o nome no campo correspondente, defina o cargo e clique em “Salvar”.
Adicione novos administradores e defina o nível adminstrativoAdicione novos administradores e defina o nível adminstrativo.

Caso não exista um campo em branco, clique em “Adicionar outro administrador”, acima do botão “Salvar”.

Passo 4. Após clicar em salvar, digite sua senha e clique em “Confirmar”.
Confirme a senha para adicionar um novo administrador. Confirme a senha para adicionar um novo administrador.

Obs.: apenas seus amigos e pessoas que curtiram a página poderão ser adicionados como administradores.

'Ameaça' para operadoras, WhatsApp pode lutar a mesma luta do Uber

Grandes empresas na área de telecomunicação considera o WhatsApp uma ameaça

Infotech Dheyno Firmino 06 de agosto de 2015 10:38h

Nas últimas semanas diversas cidades brasileiras vivenciaram o duelo entre taxistas e usuários do aplicativo Uber. Pois esse duelo poderá sair do âmbito do transporte e partir para a telecomunicação. Tudo porque as grandes empresas na área considera o WhatsApp uma ameaça.

Em entrevista ao Estado de S.Paulo, Amos Genish, presidente da Telefônica Brasil, afirmou que segurança e falta de isonomia seriam os principais problemas do aplicativo de mensagens. Isso porque o WhatsApp não possui regras fiscais, jurídicas e regulatórias, dificultando monitoramento de mensagens.

A opinião de Genish é reforçada por José Félix, presidente da América Móvil Brasil. Ele afirmou também ao Estado que se preocupa com a “falta de equilíbrio”entre o WhatsApp e as operadoras tradicionais, que não podem oferecer o serviço gratuito como faz o aplicativo.

Atual detentor do WhatsApp, o Facebook divulgou recentemente que só no Brasil o aplicativo é o quarto maior da internet, gerando cerca de 30 bilhões de mensagens enviadas diariamente. 
Fonte: Yahoo

Daltonismo e Android: o que você precisa saber?

Google está trabalhando para melhorar a experiência de quem é daltônico

Infotech Dheyno Firmino 04 de agosto de 2015 10:39h

Veja como o Google está trabalhando para melhorar a experiência de quem é daltônico com o Android. O daltonismo não será um problema para usar os aparelhos.

Daltonismo é um problema hereditário que não permite distinguir perfeitamente a diferença entre certas cores, predominantemente, entre o verde e o vermelho, podendo causar alguns problemas a que tem. E o pior é que quando o daltonismo se manifesta no nascimento pode-se levar anos até que seja descoberto, já que não apresenta sintomas físicos.

Mas o Google não para de investir para que pessoas com diferentes limitações possam ter uma  experiência perfeita com Android. E com os daltônicos não poderia ser diferente. Agora, Android Lollipop traz a função de correção de cores para quem sofre de daltonismo. E para calibrar a tela do smartphone basta acessar ‘Ajustes’ > ‘Acessibilidade’ > ‘Correção de cor’.

Daí, é só escolher a calibragem necessária para a sua disfunção. Para saber qual é a sua, também existem aplicativos, mas não vamos indicar nenhum, é sempre melhor consultar um médico especialista, né?

São três opções: deuteronomalia (vermelho-verde), protonomalia (verde-vermelho) e tritanomalia (azul-amarelo).


Drone é controlado a partir do celular

Novo aparelho vem com câmera e cartão de memória microSD acoplados

Infotech Dheyno Firmino 08 de julho de 2015 16:10h

Os drones são, de fato, uma tendência. Além de objeto de desejo, o aparelho já se infiltrou até na música – o recém-lançado sétimo álbum da carreira da banda Muse, que se apresenta em outubro no Brasil, chama-se, veja só, Drones.

As primeiras versões de drones que chegaram ao mercado eram caras e pouco práticas, mas essa realidade vem mudando rapidamente. Um exemplo é o Micro Drone 3.0, um aparelho pequeno e que, segundo os fabricantes, pode ser usado por qualquer pessoa, de perfis e idades variados.

Com design modular – ou seja, todas as peças podem ser trocadas de maneira simples –, o lançamento funciona a partir da tela do celular. Um app permite que você controle o drone usando apenas dois botões. Mas o mais interessante é que ele vem uma pequena câmera acoplada, que também pode ser monitorada pelo telefone (as imagens são transmitidas em tempo real na tela). Além disso, o objeto é equipado com um cartão microSD para armazenar as gravações. Outras características: funcionamento em até 90 metros de distância do controlador e resistência a ventos de 70 km/h.

Como é fácil substituir as peças, o fabricante afirma que é possível fazer upgrades constantes no Micro Drone. E se você quiser algo mais personalizado, dá para criar o corpo do aparelho imitando diferentes criaturas – um dragão ou uma abelha, por exemplo –, tudo usando uma impressora 3D.

Veja no vídeo abaixo, em inglês, como ele funciona. Para adquirir um, visite o site de financiamento coletivo IndieGoGo.



Emojis de diferentes etnias são liberados para Whatsapp

O Whatsapp lançou uma nova versão com a disponibilidade de emojis de diferentes

Infotech Dheyno Firmino 02 de julho de 2015 16:26h

A última atualização do aplicativo de mensagem instantânea para o Android trouxe os esperados emojis étnicos. Essa diversidade (são seis etnias) já estava disponível para IOS e Whatsapp Web.

Por enquanto é necessário fazer o download da APK no site oficial do Whatsapp, mas em breve a versão 2.12.161 estará disponível direto na Play Store. Mas se você não aguenta esperar, veja como instalar o APK.

Passo 1

Clique aqui e faça o dowload do APK pelo navegador. Abrirá o site do Whatsapp. Clique em “Download Now” e, se necessário, confirme que deseja salvar o arquivo no seu celular.

whatsappapk1

Passo 2

Enquanto aguarda terminar o download, vá em “Configurações” e acesse “Segurança”.

whatsappapk2

Passo 3

Ative a opção “Fontes desconhecidas” e dê OK na tela seguinte, para confirmar que está ciente dos riscos de instalar aplicativos de fontes desconhecidas.

whatsappapk3

Passo 4

Terminado o download, abra o arquivo “Whatsapp.apk”

whatsappapk4

Passo 5

Com o APK aberto, clique em “Instalar” e, quando tiver terminado a atualização, em “Abrir”. Você agora tem um app novinho com todas as novidades.

whatsappapk5

Fonte: PSafe Blog

Novo vírus preocupa e causa transtornos aos usuários do Facebook

Link para suposto vídeo com conteúdo erótico está circulando na rede e .....

Infotech Dheyno Firmino 09 de junho de 2015 10:53h

Um novo vírus está se espalhando pelo Facebook. Nas últimas semanas, usuários têm relatado a inclusão de dezenas de perfis em uma mesma postagem. O objetivo da armadilha é marcar várias pessoas em um link com título ou conteúdo instigante (atualmente, trata-se de um vídeo de conteúdo erótico).

No momento em que clica-se no ícone, abre-se espaço para que um programa publique mensagens no nome do usuário. Automaticamente, o software marca os amigos, que se tornam vítimas do mesmo golpe.

A principal orientação é para que o internauta não clique em qualquer imagem suspeita. Caso isso ocorra, é necessário ir até o ícone "Aplicativos", no menu esquerdo da rede social, e apagar qualquer programa que não tenha sido instalado por vontade própria. 

O novo vírus também pode afetar o navegador. Portanto, siga algumas dicas:

Google Chrome: clique no canto superior direito, no botão menu, e depois escolha a opção “Configurações”. Clique na opção “Extensões” e verifique se há alguma suspeita. Para removê-las, clique na imagem de uma lixeira do lado direito.

Internet Explorer: selecione a opção "Ferramentas" no alto do canto direito do navegador e clique em “Gerenciar Complementos”. Em seguida, na aba “Barras de Ferramentas e Extensões”, selecione as suspeitas e clique no botão desabilitar, no canto inferior direito.

Firefox: clique no menu principal, no alto do lado direito da página e escolha a opção "Complementos". Em seguida, clique em "Opções" e remova qualquer extensão que não lembre de ter instalado, apertando o botão "Desativar".

É importante reiniciar o computador após realizar os procedimentos. Também é recomendada a troca de senha.


Novamente a operadora de serviços telefônicos Tim, deixa Piripiri sem sinal.

Operadora não informa o motivo pelo qual a cobertura falhou nesta semana

Infotech Dheyno Firmino 29 de maio de 2015 09:05h

Novamente a operadora de telefonia celular deixa a cidade de Piripiri sem o serviço de cobertura. Esta semana aconteceu por duas vezes, sendo que na quarta feira dia 27 o serviço ficou "fora do ar" por nove horas, saindo por volta das 15h e retornando perto da meia noite. 

Novamente hoje (29), a operadora voltou a ficar sem serviço de cobertura. Na verdade só exigimos respeito por parte da operadora, já que irão fazer alguma manutenção na rede, poderiam informar aos clientes/usuários da operadora sobre tal manutenção por sua vez, justificando a ausência de sinal. Más não é o que acontece, ficamos sem serviço, sem cobertura e sem informação da falta de sinal da operadora, só nos resta como cidadãos reclamar junto ao órgão que regulamenta o serviço de telecomunicação no país, a ANATEL.

Para reclamar, acesse o site da ANATEL e faça sua reclamação, se você não fizer, não adianta ficar se lamentando!

Acesse aqui o site da ANATEL e faça sua reclamação.