Geral

Veículos com documentação atrasada, sem pagamento, danificados, sem troca de óleo, pneus lisos e uma série de irregularidades. Esta é a realidade encontrada por Douglas Araújo, chefe de transporte da Secretaria Municipal de Saúde de Piripiri.
 
Segundo ele, entre todos os veículos, apenas a ambulância avançada do SAMU estava com a documentação em dia. “Não sei como como esses carros do município faziam transporte na BR com destino a Teresina”, reflete
Douglas.
 
"É lamentável. A desordem reinava na saúde. Entregaram o município como o “país da Alice, às mil maravilhas”, mas é totalmente diferente. Recebemos uma frota de carros sem condições para trafegar em uma BR, correndo risco de acidentes e apreensões pela PRF", disse Araújo.
 
O chefe de transporte também cita o caso das ambulâncias do SAMU que rodavam com vários problemas mecânicos, temendo uma tragédia. "Há o risco do carro apresentar problemas mecânicos, parar no meio do caminho e o paciente vir a óbito. Os pneus não apresentam a menor condição, carecas, emplacamento atrasado, sistema de refrigeração inoperante e motoristas desestimulados por culpa das precárias condições de trabalho”, enumera.
 
Douglas afirmou que, por determinação do secretário de saúde, os veículos estão passando por uma revisão geral. Se antes o tema era “rodar até quebrar”, agora é “cuidar pra não quebrar”.
 
"Nossos carros estão impossibilitados de trafegar. O ex-prefeito não teve o cuidado necessário com o patrimônio municipal. O mais alarmante é que veículos com placas oficiais tem isenção. O montante não ultrapassa R$ 1.800,00 para regularização dos documentos. Não sei a razão pela qual não o fizeram.", questiona.