Escolas de Piripiri

Prefeitura de Piripiri - PI anuncia Concurso Público com 229 vagas

Há vagas para profissionais com todos os níveis de escolaridade.

Escolas de Piripiri Professores 29 de abril de 2016 10:46h

A Prefeitura Municipal de Piripiri, no Estado do Piauí, anuncia o Concurso Público, destinado ao provimento de 229 vagas, e formação de cadastro reserva.

Há vagas para profissionais com todos os níveis de escolaridade, nas seguintes funções:

  • Nível Fundamental: Ajudante de Serviços (43); Bombeiro Hidráulico (1); Cozinheira (3); Laçador (2); Motorista (5); Office Boy (1) e Vigia (30).
  • Nível Médio/ Técnico/ Magistério: Agente Administrativo (8); Analista Ambiental (1); Auxiliar de Contabilidade (3); Atendente de Consultório Dentário (4); Cuidador Infantil (1); Fiscal Sanitário (1); Fiscal Ambiental (1); Orientador Social (2); Professor de Educação Infantil (20); Secretário Escolar (5); Técnico em Enfermagem (16); Técnico do Tesouro Municipal (1) e Técnico em Radiologia (2).
  • Nível Superior: Assistente Social (7); Biomédico (1); Cirurgião Dentista (5); Educador Físico (4); Enfermeiro (7); Engenheiro Civil (1); Fisioterapeuta (5); Fonoaudiólogo (4); Médico Clínico Geral (7); Médico Veterinário (2); Médico Perito (1); Nutricionista (6); Professor do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano (1); Professor do Ensino Fundamental 6º ao 9º ano (15); Pedagogo (4); Psicólogo (6) e Terapeuta Ocupacional (3).

Dentro do total de funções, há vagas reservadas para pessoas com deficiência.

Os profissionais receberão remunerações que variam de R$ 880,00 a R$ 2.400,00, para desempenhar atividades em jornadas de 20h ou 40h semanais.

Para realizar as inscrições, os interessados devem preencher o formulário no período de 5 de maio de 2016 a 5 de junho de 2016, pelo site www.funvapi.com.br, e efetuar o pagamento do boleto bancário da taxa de participação no valor de R$ 50,00; R$ 70,00 ou R$ 90,00 de acordo com a escolaridade.

A classificação dos candidatos será por meio de prova objetiva, prevista para ser realizada no dia 28 de agosto de 2016, e avaliação de títulos para os cargos de nível superior.

Este Concurso tem validade de dois anos, contados a partir da data de publicação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período.

Mais informações podem ser obtidas no edital de abertura disponível em nosso site.

O tão esperado e sonhado concurso da Prefeitura Municipal de Piripiri saiu! 

CONFIRA O EDITAL CLIQUE AQUI!

I Prêmio Professora Eliana Teles: práticas de excelência em alfabetização

Reconhecimento de práticas alfabetizadora de escolas e professores.

Escolas de Piripiri Professores 29 de abril de 2016 09:24h

A Prefeitura de Piripiri, através da Seduc – Secretaria Municipal de Educação realizou na manhã desta quinta-feira, dia 28, uma solenidade para a entrega do I Prêmio Professora Eliana Teles. O premio é o reconhecimento de práticas de excelência de escolas e professores da rede pública municipal, e garantem qualidade e altos índices de alfabetização.

Três escolas receberam a premiação: Centro Educativo Antônio Ferreira Neto, Escola Municipal Manuel Cândido (Povoado Vertentes) e Centro Educativo Vereador Valdemar Soares do Bairro Paciência.

"Todos os gestores sempre dizem que a educação é uma prioridade, mas que nem sempre na prática isso acontece. “Dizer é uma coisa. Outra coisa é fazer. E a gente está fazendo no nosso município uma educação que chega a todos com a mesma qualidade. Haja vista, que nesta premiação de hoje duas escolas da zona urbana foram contempladas e uma da zona rural. Isso quer dizer que damos o mesmo tratamento e não fazemos discriminação entre as escolas da cidade e da zona rural. Hoje em nosso município, educação não é um privilégio de poucos, é uma garantia para todos”, pontuou o prefeito Odival Andrade.

A coordenadora do PNAIC  - Márcia Batista - e toda a equipe da SEDUC estavam muito felizes pelas conquistas dos últimos três anos na área educacional. 




Prefeito de Piripiri Odival Andrade fazendo a entrega do Prêmio à Diretora do Centro Educativo Antônio Ferreira Neto

Secretário de Educação Rodrigo Amaral fazendo a entrega do Prêmio à Diretora da Escola Valdemar Soares

Isaac Teles (Filho da professora Eliana Tele) fazendo a entrega do Prêmio ao Diretor da Escola Manuel Cândido (Povoado Vertentes)

Para finalizar houve o coffee break e uma palestra com a professora e doutoranda em educação Raimunda Alves Melo, da Universidade Federal do Piauí. A solenidade aconteceu no auditório do IFPI de Piripiri e contou com diversas autoridades e diretores de escolas.

Dia da Educação

A maior parte do conhecimento humano se dá através do processo de educação.

Escolas de Piripiri Professores 28 de abril de 2016 10:44h

Como adquirimos todos os conhecimentos que temos? A maior parte do conhecimento humano se dá através do processo de educação.

Geralmente, quando se fala em educação, pensamos imediatamente em escolas, alunos, professores, livros, materiais pedagógicos.

Ou seja, a palavra remete ao universo escolar.

Na escola encontramos nossos amigos queridos com quem brincamos, conversamos e trocamos confidências. Nossos professores nos esperam todos os dias prontos para passarem um novo assunto.

Além de transmitirem seus conhecimentos, nossos mestres também estão sempre prontos a nos aconselharem quando é necessário.

No entanto, a escola não é o único lugar onde a educação acontece. A educação existe tanto em sociedades tribais de povos caçadores agricultores ou nômades, quanto em sociedades de países desenvolvidos e industrializados.

Há também a figura dos pais, pois são eles que complementam a educação das crianças, ensinando-as o que é certo, como devem se comportar e a respeitar o próximo.

O dia 28 de abril é dedicado a este importante elemento de aquisição e de transmissão de cultura.


Aprovado reajuste de 11, 36% para os professores da Rede Municipal de Piripiri

Piso para professores de nível médio e 40 h/semanais vai para R$ 2.189, 45

Escolas de Piripiri Professores 05 de maro de 2016 18:57h

O novo piso salarial para os professores da Rede Municipal de Educação de Piripiri foi aprovado na última quinta-feira, dia 03 de março de 2016, na Câmara do Vereadores de Piripiri.

O reajuste salarial dos professores é de 11,36%, conforme publicação do Ministério da Educação. Os reajustes referente a janeiro e fevereiro serão pagos, respectivamente, em abril e maio.                                  

Professores de Nível Médio com atuação de 40 horas de trabalho semanais receberão R$ 2.189, 45.

Confira a tabela de reajustes conforme nível e classe:







META 17 DO PNE

Valorizar o magistério público da educação básica a fim de aproximar o rendimento médio do profissional do magistério com mais de onze anos de escolaridade do rendimento médio dos demais profissionais com escolaridade equivalente.

Estratégias:

17.1) Constituir fórum permanente com representação da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e dos trabalhadores em educação para acompanhamento da atualização progressiva do valor do piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica.

17.2) Acompanhar a evolução salarial por meio de indicadores obtidos a partir da pesquisa nacional por amostragem de domicílios periodicamente divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.

17.3) Implementar, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, planos de carreira para o magistério, com implementação gradual da jornada de trabalho cumprida em um único estabelecimento escolar.


José Narciso da Rocha Filho: Parabéns pelos seus 55 anos de história em Piripiri

A escola pública de maior referência em Piripiri completa 55 anos, hoje (04/03).

Escolas de Piripiri Professores 04 de maro de 2016 23:01h

Conheça um pouco da grandiosa história da escola pública que mudou a história da educação em Piripiri - Piauí. 


 Turma Pioneira do Ensino Médio - 1996

 

Professores da Unidade Escolar José Narciso da Rocha Filho


Professores da Unidade Escolar José Narciso da Rocha Filho


Professores e funcionários da Unidade Escolar José Narciso da Rocha Filho


Professores da Unidade Escolar José Narciso da Rocha Filho





Coordenação de Alfabetização realiza I Encontro para Coordenadores Pedagógicos

Orientar os coordenadores para as ações pedagógicas no ano de 2016 .

Escolas de Piripiri Professores 23 de fevereiro de 2016 23:11h

A equipe de Alfabetização da Secretaria de Educação de Piripiri promoveu na segunda-feira (22/02) o I Encontro para Coordenadores Pedagógicos das Escolas. 

O objetivo do encontro foi informar o resultados de 2015 no ciclo de alfabetização além de orientar os coordenadores para as ações pedagógicas no ano de 2016 na política de alfabetização da rede municipal de ensino.    

Os coordenadores também foram certificados pela participação nas Formações Continuadas/2015.

Supervisoras do PNAIC: Paulinania, Cristiane e Luzirene

Supervisoras do PNAIC: Francylena e Francinete

Coordenadora do PNAIC Piripiri, Márcia Batista fazendo a entrega dos Certificados aos coordenadores pedagógicos.

Escolas de Piripiri fortalecem combate ao Aedes Aegypti

Palestras e conscientização da comunidade para a prevenção de doenças.

Escolas de Piripiri Professores 23 de fevereiro de 2016 22:46h

Durante toda a sexta-feira (19/02), a mobilização nacional da Educação para o combate ao mosquito Aedes aegypti tomou conta do País, e em Piripiri não foi diferente. Alunos e professores de toda a Rede Municipal de Educação de Piripiri desenvolveram várias atividades dentro e fora dos muros das escolas: palestras com professores e alunos, caminhadas pelas residencias para conscientização de combate ao mosquito. 

A mobilização foi só o recomeço de uma grande batalha da educação contra o mosquito, e acreditamos na vitória da educação. 

Escola Municipal Profº Antonio Nunes de Sousa - Pé do Morro


Escola Municipal Teodorico - Furnas

Governo faz hoje Dia Nacional de Mobilização contra o Zika em escolas

Conscientizar e mobilizar os estudantes para o combate ao Aedes aegypti.

Escolas de Piripiri Professores 19 de fevereiro de 2016 08:01h

Escolas de todo o país vão receber hoje (19), Dia Nacional de Mobilização da Educação contra o Zika. As atividades nas escolas buscam conscientizar e mobilizar os estudantes para o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika.

Ao longo do dia serão desenvolvidas atividades específicas nas escolas como palestras, distribuição de panfletos e vistoria para combater possíveis criadouros do mosquito. As atividades envolverão ainda professores, diretores, reitores de universidades e de institutos federais, agentes de saúde e da vigilância sanitária e militares das Forças Armadas.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, destacou que a prevenção é a melhor alternativa contra o Aedes aegypti e que a mobilização das redes pública e privada de educação fará a diferença no combate ao mosquito. A intenção é que jovens e crianças levem para casa informações sobre a prevenção ao Aedes. Segundo Mercadante, a orientação para o combate aos criadouros do mosquito vai continuar durante todo o ano nas redes educacionais do país.

“Só na rede pública são mais de 200 mil escolas. Por meio da sala de aula podemos manter informadas a juventude, as crianças, e elas levarem para dentro de casa uma nova atitude. O dia é para todo mundo parar e refletir, mas vai ter que ser uma campanha permanente. Todo mundo tem que gastar 15 minutos por semana para não deixar nada de água parada dentro de casa”, disse Mercadante.

A mobilização de hoje dá prosseguimento ao proposto no Pacto da Educação Brasilleira contra o Zika, firmando no início do mês entre o Ministério da Educação, demais representantes do governo federal, de estados e municípios, além de instituições e organizações públicas e particulares.

Fonte: Agência Brasil

Edição: Ezequiel Neres/Piripiri40graus


Escolas da Rede Municipal realizaram 1º Planejamento Curricular 2016

Aulas começam dia 15 de fevereiro.

Escolas de Piripiri Professores 12 de fevereiro de 2016 20:17h

Escola Dr. Adauto Coelho de Resende.

Creche Sinhara Castro.


Cem Dr. Antenor De Araújo Freitas.

Diretores, coordenadores e professores se reuniram nas escolas para prosseguimento da Semana Pedagógica e realização do 1º Planejamento 2016.        

Um ótimo ano letivo para toda equipe de professores da Rede Municipal.

Escola Antonio Monteiro Alves.

Escola Mun. Profº Antonio Nunes de Sousa.

Escola Círculo Operário.

Escola Isis Cavalcante.

Escola Manoel Lira.

Escola Linoca Pires.

Escola Carolina Freitas Lira.

Escola Irmã Angela.

Padre Freitas.

Início da Semana Pedagógica da rede municipal reúne professores em Piripiri

Evento iniciou as atividades do ano letivo 2016 na Rede Municipal de Ensino.

Escolas de Piripiri Professores 05 de fevereiro de 2016 13:35h

Prefeito Odival Andrade anunciou aumento para os professores com pagamento retroativo a janeiro de 2016.

Aconteceu nesta quinta e sexta-feiras o início da Semana Pedagógica para o ano letivo de 2016.. O evento reuniu cerca de 1.200 professores para debater alguns temas relacionados ao aprimoramento da prática no ensino e de autoestima. 

O primeiro momento e abertura do evento aconteceu ontem (04/02) na AABB da cidade, e onde os profissionais foram rececpionados pela Professora Maria Edileide Castro que proferiu uma palestra motivacional;  e logo em seguida um descontraído show de humor com o piripiriense Amauri Jucá. O segundo momento aconteceu na manhã de hoje (05/02) em dois locais, Praça de Eventos e IFPI. Os professores da Educação Infantil e do 1º ao 5º ano discutiram o tema " As posições subjetivas e as práticas inclusivas no contexto educacional e estudo de casos" com a Profª Maria Charlane Silva Castro; Os professores do 6º ao 9º ano obtiveram palestras com as temáticas "Profissional - diferentes facetas; Prática Pedagógica e os sentidos da avaliação da aprendizagem (Profª Drª Tereza Cristina Sousa Silva Honório; Prática Pedagógica - Revisando o ser Professor (Profª Bárbara Maria Macedo Mendes) e a palestra Ser Professor: reflexão sobre ensina - aprender com a Profª Drª. Antonia Édna Brito.

"Vamos abordar temas importantes e motivacionais com os nossos professores para que continuemos o nosso compromisso e cada vez mais a melhoria da educação do nosso município, que vem se destacando a nível nacional com premiações na OBMEP, escolas com IDEB acima da média nacional e até professores com destaque a nível de Brasil. Tudo isso porque temos uma na base curricular municipal própria construída ao longo desses quatro anos da nossa gestão e que vem dando muito certo", disse o secretário de Educação, Rodrigo Amaral Rodrigues.

Para finalizar a semana, nos dias 11 e 12/02, os educadores vão para as escolas finalizar as discussões e preparar o ambiente escolar para a chegada dos alunos no próximo dia 15 de fevereiro.


Dê sua opinião!

Vote a favor ou contra no link disponível.

Escolas de Piripiri Professores 24 de janeiro de 2016 10:07h

VOTE CLICANDO AQUI!

Dê sua opinião sobre o projeto altera o Código Penal, para incluir como causa de aumento de pena a lesão corporal cometida contra professor, no exercício da função.



Uma farta variedade de cursos a distância (EAD). Confira e capacite-se.

Oferecidos pelo Senado Federal a todo cidadão brasileiro.

Escolas de Piripiri Professores 16 de janeiro de 2016 10:45h

O ano de 2016 já começa com uma farta variedade de cursos a distância (EAD) oferecidos pelo Senado Federal a todo cidadão brasileiro, por intermédio de seu braço educativo, o Instituto do Legislativo Brasileiro (ILB). 
Quem tiver interesse, basta entrar no site do ILB, no endereço a seguir - CLIQUE AQUI - e clicar sobre o curso desejado para obter mais informações. É necessário somente ficar atento ao número de vagas, verificando se a turma ainda está aberta.


Oito projetos de lei que podem mudar a educação no Brasil

Conheça e opine sobre os projetos.

Escolas de Piripiri Professores 14 de janeiro de 2016 23:33h

Um dos problemas que mais afligem o Brasil é a educação. A má qualidade da educação brasileira e a grande discrepância entre escolas públicas e privadas são temas frequentes de projetos de lei e discussões em audiências públicas. O Senado está no centro do debate que busca medidas capazes de melhorar a qualidade do sistema de ensino. Conheça alguns dos projetos de lei que tramitam na Casa com o objetivo de melhorar a educação brasileira e opine sobre eles:

1) Projeto determina que Governo Federal ajude a pagar os professores - PEC 63/2015

O Piso Nacional de Valorização do Magistério Público determinou que, do total que cada estado recebe do Fundeb, 60% deve ser gasto com a remuneração de pessoal ativo e os outros 40% em ações de manutenção e desenvolvimento do ensino (MDE). Porém, com  a inflação crescendo mais que o piso nacional e o próprio Fundeb, a média nacional de gasto com pessoal está em 77% do Fundeb.  Desse modo, as ações de manutenção e desenvolvimento do ensino acabam ficando defasadas.

De acordo com o senador Cristóvam Buarque, autor do projeto, a previsão é que em mais quatro a cinco anos todos os recursos do Fundeb sejam suficientes somente para o pagamento de pessoal. O projeto 63/2015 prevê que o Governo Federal complemente com os recursos necessários tudo que ultrapassar os 60% previstos na lei para gastos com pessoal.

*O Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação) é um fundo especial, de natureza contábil, formado por recursos de impostos e de transferências dos Estados, Municípios e Distrito Federal.

O projeto está aguardando designação de relator na Comissão de Constituição e Justiça. 

2) Projeto prevê que cientistas bolsistas devem colaborar com a educação básica no Brasil - PLS 224/2012

Segundo o projeto, o estudante de graduação de instituição federal de educação superiorbeneficiário de bolsa de estudo custeada com recursos federais é obrigado a prestar serviços de divulgação, formação e informação científica e educacional, por no mínimo 2 horas semanais, em estabelecimento público de educação básica durante o período de duração da bolsa.

Os bolsistas de programas como o CAPES e Ciência sem Fronteiras, durante seus cursos realizados no Brasil, ou após a realização de estudos no exterior, podem ser aproveitados como divulgadores científicos. Já os bolsistas do Programa Universidade para Todos, o PROUNI, deverão ser aproveitados entre aqueles que não forem da área de ciência, como alfabetizadores de adultos ou estagiários em escolas de educação básica.

O autor do projeto, senador Cristóvam Duarte, disse que apresentou a matéria há cinco anos após ouvir do cosmólogo brasileiro Marcelo Gleiser da importância de cientistas se apresentarem a estudantes do ensino fundamental, a fim de incentivá-los a se tornarem cientistas.

3) Projeto institui isenção de impostos para material escolar -PEC 24/2014

 O artigo 150 inciso VI da Constituição Federal estabelece que é proibido instituir impostos sobre determinados produtos ou serviços, como livros, jornais, periódicos, templos de qualquer culto e outros. A proposta de emenda à Constituição 24/2014 quer acrescentar a essa lista o material escolar.

Na justificativa do projeto, os autores defendem que o estado precisa estimular a educação também de forma indireta e a desoneração tributária de material escolar seria uma das formas de fazê-lo. Atualmente incidem sobre o material escolar o IPI (imposto sobre produtos industrializados) e o ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços).

A proposta está na Comissão de Constituição e Justiça aguardando a designação do relator. 

 4) Projeto estabelece que 10% do PIB tem que ir para educação - PEC 101/2011

proposta de emenda à Constituição 101/2011,de autoria da senadora Angela Portella, propõe um investimento de grande porte na educação brasileira. O projeto indica os meios para sua viabilização (ou seja, de onde o dinheiro viria) como impostos e royalties de petróleo. E ainda vincula a articulação com o PNE e com o Fundeb para utilização dessa verba.

Os 10% não seriam uma meta fixa ou permanente, mas um “pico” a ser alcançado progressivamente até o nono ano de vigência do PNE.  A matéria estabelece ainda que sejam feitas avaliação científica e participativa do PNE, para se verificar medida de recursos necessários para sustentar as metas do futuro Plano Decenal.


 5) Projeto proíbe escolas de cobrança extra para alunos com deficiência - PLS 45/2015

Embasado nas recomendações dos Ministérios Públicos Estaduais às instituições de ensino, que de forma singular encaminharam opinião a escolas particulares de seus estados no sentido de não haver cobrança extra aos alunos com deficiência matriculados na instituição, o senado Romário Faria apresentou o projeto de Lei 45/2015.

 A proposta estabelece que as escolas públicas, estaduais e municipais, ou particulares deverão matricular alunos com deficiência, independentemente da condição física, sensorial ou intelectual que apresentem, sem cobrança de taxa extra aos pais.

 A matéria ainda diz que as escolas devem garantir no seu projeto político e pedagógico a educação inclusiva, especificando em sua proposta flexibilização curricular, metodologias de ensino, recursos didáticos e processos avaliativos diferenciados para atender as necessidades específicas dos alunos, promovendo as adaptações necessárias.

 O projeto está aguardando votação na Comissão de Educação e deverá ser votado em decisão terminativa*. 

*Decisão terminativa é aquela tomada por uma comissão, com valor de uma decisão do Senado. Depois de aprovados pela comissão, os projetos aprovados desta forma não vão a Plenário, sendo enviados diretamente à Câmara dos Deputados, encaminhados à sanção, promulgados ou arquivados. Só serão votados pelo Plenário do Senado se recurso com esse objetivo, assinado por pelo menos 9 senadores, for apresentado ao presidente da Casa. Após a votação do parecer da comissão, o prazo para a interposição de recurso para a apreciação da matéria no Plenário do Senado é de cinco dias úteis.

 6) Projeto inclui o estudo da Constituição Federal na educação básica - PLS 70/2015

 Com o objetivo de expandir a noção cívica dos estudantes, ensinando-lhes sobre seus direitos constitucionais como cidadão e futuro eleitor, e também sobre seus deveres, o senador Romário Farias apresentou o projeto de Lei  70/2015 que institui o ensino da Constituição Federal nas escolas de ensino fundamental e médio.

O proposta acrescenta à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/1996) como diretriz do conteúdo curricular da educação básica a difusão de valores fundamentais ao interesse social e aos direitos e deveres dos cidadãos e de respeito ao bem comum e à ordem democrática, com a introdução do estudo da Constituição Federal

A matéria ainda estabelece “a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, do exercício da cidadania, da tecnologia, das artes e dos valores éticos e cívicos em que se fundamenta a sociedade” como um dos objetivos da formação básica do cidadão, a ser trabalhado desde o ensino fundamental.

O projeto foi enviado à Câmara dos Deputados para análise. 

 7) Projeto determina multa e sanção para pais que não acompanham o desempenho escolar dos filhos - PLS 189/2012

 Segundo o senador Cristóvam Buarque, autor da proposta 189/2012, a educação não se faz apenas pela escola, isolada da responsabilidade, mas também pela ação dos pais no acompanhamento do desempenho de seus filhos.

 O projeto estabelece que os pais devem comparecer em reuniões oficiais de pais e mestres ou marcar diálogo individual com os professores pelo menos uma vez a cada dois meses letivos, em todas as escolas públicas e privadas da educação básica.

Os pais ou responsáveis legais que não cumprirem o disposto estarão sujeitos às mesmas sanções estabelecidas na Lei Eleitoral (4.737/1965), ou seja, além de ter que pagar multa de 3% a 10% do salário mínimo, o cidadão também ficará impedido de:

a) inscrever-se em concurso para cargo ou função pública;

b) receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de emprego ou função pública e de empresas paraestatais;

c) participar de concorrências públicas;

d) obter empréstimos em bancos ou caixas econômicas federais ou estaduais;

e) obter passaporte e carteira de identidade

As sanções serão suspensas mediante apresentação de comprovante de participação em pelo menos quatro reuniões agendadas pela escola.

A matéria está sendo discutida na Comissão de Educação. 

8) Pais poderão ter uma falta por semestre para participar de reuniões na escola de seus filhos PLS 620/2011

De acordo com a senadora Lídice da Mata, autora do projeto, a Fundação Getúlio Vargas realizou um estudo que mostra que os efeitos da presença dos pais na vida escolar se fazem notar por toda a vida adulta. A participação da família está associada a notas altas e a uma considerável redução nos índices de evasão.

A matéria acrescenta ao artigo 473 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que trata das situações em que o trabalhador pode faltar ao serviço, a dispensa por 1 dia a cada semestre para participação em reuniões escolares dos filhos mediante comprovação.

PLS 620/2011 está tramitando na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa. 

Gostou dos projetos de lei? Dê sua opinião.

Fonte: https://www.facebook.com/SenadoFederal

Estudante do Piauí atinge maior nota da história do Enem

"Fechou" a prova de Matemática e sobressaiu-se também, nas outras áreas Exame.

Escolas de Piripiri Professores 09 de janeiro de 2016 03:40h

Um estudante de 18 anos do Piauí é um dos autores da façanha mais comentada em todo o Brasil nesta sexta-feira (8). Vitor Melo Rabelo, aluno do Instituto Dom Barreto, de Teresina, obteve a maior nota já registrada no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Vitor Melo obteve 848 pontos na média geral (com a redação), mas foi em matemática que seu desempenho se sobressaiu. Os 1.008,3 pontos registraram um novo recorde no Enem - o máximo alcançado anteriormente foi de 973,6. 

O estudante disse, em entrevista concedida na capital Teresina, que pretende usar a pontuação para conseguir uma vaga no curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí (UFPI). A comemoração, segundo ele, vai ficar somente para depois da confirmação da vaga. As inscrições começam na segunda-feira (11), através do Sistema de Seleção Unificada (SiSu).  

Enquanto outros estudantes incrédulos questionam nas redes sociais como alguém pode ter alcançado essa nota, Vitor Melo garante que não tem mágica. "É só estudo mesmo", confirma. Para o Enem, o jovem estudou seis horas por dia. 

Através das redes sociais, o Instituto Dom Barreto parabenizou seu aluno. "Vitor Melo Rebelo, do IDB, é a maior nota de Matemática do Enem. Ele fechou a prova. A nota máxima do nosso brilhante entra para a história do Enem e foi mais uma conquista de Vitor, que já foi aprovado em 12 vestibulares. Parabéns Vitor, orgulho e inspiração!"

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), "a tendência de aumento no desempenho em matemática comprova a melhor qualificação dos participantes nesta área."

O Inep informou ainda que a prova de ciências da natureza registrou a nota máxima de 875,2 e a mínima de 334,3. Já em ciências humanas, o desempenho máximo chegou a 850,6, enquanto o mínimo foi de 314,3. A prova de linguagens e códigos teve como nota mais alta 825,8. Já a mais baixa foi de 302,6.

Como é calculada a nota do Enem

Diferente das provas de vestibular tradicionais, que contabilizam apenas o número de erros e acertos, atribuindo um valor fixo às questões, o Enem usa uma metodologia especial, a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI).  Neste modelo estatístico, o valor de cada uma das questões varia de acordo com o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item.

Assim, os itens que os estudantes acertarem mais serão considerados fáceis e, por essa razão, valerão menos pontos na composição da nota final. Já os itens com menor número de acertos por parte dos estudantes serão considerados difíceis e, por essa lógica, valerão mais pontos.

Escola do Campo em Piripiri é destaque na OBMEP com medalhista de bronze

Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa da Localidade Pé do Morro.

Escolas de Piripiri Professores 03 de dezembro de 2015 21:05h

A aluna Fabiele de Oliveira Café da Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa – Localidade Pé do Morro foi parabenizada na tarde de ontem (02) pela conquista da medalha de bronze na 11ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, edição 2015. Os diretores Dirceu Martins e Isaias Souza preparam uma solenidade exclusivamente para destacar a primeira medalhista da escola.

"Estivemos nos preparando e trabalhando com os nossos alunos durante todo esse período do ano focando na OBMEP, seguindo exemplo de escolas que já são destaque na olimpíada com vários medalhistas, como na vizinha cidade de Capitão de Campos, por isso não podíamos deixar fazer este momento tão importante para todos nós que fazemos a EMPANDS, destacando também as professoras de Matemática Gabriela Silva e Carminha Brito que fizeram um ótimo trabalho em sala de aula e nos preparatórios organizados pelo professor/coordenador pedagógico Ezequiel Neres, agradecer também o apoio da SEDUC na pessoa do secretário Municipal de Educação Prof. Rodrigo Amaral Rodrigues. 

A OBMEP é uma oportunidade que a escola tem em reconhecer os talentos, e assim proporcionar ao aluno uma bolsa de iniciação científica, o que abre caminhos promissores para toda vida estudantil e profissional do aluno. Vale destaca que a escola, mesmo sendo da zona rural vem ganhando espaço a nível nacional, em 2013 a escola foi destaque em Brasília, representando o Piauí na Conferência do Meio Ambiente. Isso é trabalho, é compromisso da equipe da escola, e uma gestão democrática e com autonomia", conclui o Diretor Titular da instituição Dirceu Martins.

Estiveram presentes na solenidade os colegas de turma e demais alunos da escola, professores (as) e o pai Francisco de Assis Guimarães. A escola brindou simbolicamente a aluna com uma medalha, um kit de material escolar e um cheque no valor de cem reais.

Fabiele Oliveira Café e Diretor Dirceu Martins

Fabiele Oliveira Café e o Diretor Isaias Souza

Professora de Matemática da Escola - Carminha Brito


Escolas com melhor desempenho no Piauí

As escolas de Piripiri destacadas com medalhas nesta edição da olimpíada foram: Unidade Escolar Padre Freitas e Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa.

PAULO FERRAZ e PADRE FREITAS: ESCOLAS QUE DERAM UM SALTO DE QUALIDADE

Ilhas de excelência apontam caminho para educação no Brasil.

Escolas de Piripiri Professores 20 de outubro de 2015 11:21h

Duas escolas que deram um salto de qualidade no ensino e que estão ganhando destaques a nível nacional. Exemplo disso, é a Escola Paulo Ferraz, que foi um dos principais assuntos debatidos no 2º EXAME Fórum Educação, realizado no dia 15 de setembro em São Paulo que teve como tema: COMO O BRASIL PODE DAR UM SALTO DE QUALIDADE . A revista publicou uma entrevista com o professor Werbety Ney Costa, professor de história que usou a Olimpíada Brasileira de Matemática para promover uma mudança profunda na escola. Confira a publicação da Revista Exame. 

Os 800 alunos da escola municipal Paulo Fer­raz, localizada em Capitão de Campos, cidade de 10 000 habitantes no interior do Piauí, têm bons motivos para se orgulhar. No ano passado, saíram da instituição oito medalhistas da Olimpíada Brasileira de Matemática, competição organizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Rio de Janeiro.

Trata-se do maior evento do gênero no mundo, com 18 milhões de estudantes disputando 6 500 medalhas. Dois alunos da Paulo Ferraz ganharam o ouro em 2014. Para ter ideia de como o feito é difícil, redes de ensino de estados como Ala­goas, Sergipe e Acre não tiveram nenhum primeiro colocado nas provas da competição.

“Foi o segundo ano consecutivo em que subimos ao pódio”, diz Werbety Ney Costa, professor de história que usou a competição para promover uma mudança profunda na escola. Até pouco tempo atrás, a Paulo Ferraz era um retrato da educação brasileira.

A média de seus alunos no Ideb, principal indicador de qualidade do ensino público fundamental no país, era 3,3 — nota que estava 20% abaixo da média nacional. Cerca de um terço dos alunos repetia de série e de 20% largavam os estudos no decorrer do ano. Em 2011, Costa assumiu a direção da Paulo Ferraz.

Uma das primeiras coisas que fez foi espalhar cartazes pelos corredores mostrando os benefícios de tirar uma boa nota na Olimpíada. Além da medalha, os mais destacados ganham bolsa de iniciação científica e o direito de ingressar num mestrado em matemática. “Não tinha nada muito planejado, mas minha intuição dizia que isso mudaria a atitude dos alunos”, afirma Costa.

Em 2012, os resultados começaram a aparecer. Um dos estudantes recebeu menção honrosa na competição — seu nome foi inscrito numa placa, fixada numa das salas de aula. A partir daí, aprender matemática virou um objetivo desejado. Hoje, a evasão e a repetência na escola estão praticamente zeradas. A nota no Ideb subiu para 4,5 — agora 10% acima da média nacional.

Nos preparativos para a Olimpíada de 2015, os professores da Paulo Ferraz tiveram de usar um salão de igreja para dar aulas de reforço a 300 estudantes, não só da Paulo Ferraz mas vindos também de outras escolas do município e de cidades vizinhas. Como multiplicar país afora ganhos de qualidade desse tipo?

Esse foi um dos principais assuntos debatidos no 2º EXAME Fórum Educação, realizado no dia 15 de setembro em São Paulo. Participaram do encontro o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro; a americana Barbara Bruns, economista-líder do Banco Mundial para a área de educação na América Latina; e Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Ayrton Senna e professor da escola de negócios Insper, de São Paulo.

Também discutiram os caminhos para melhorar o ensino Fernando Sakane, reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA); César Camacho, diretor-geral do Impa; e Nelson Wolosker, vice-presidente do Hospital Albert Einstein.

O matemático Artur Ávila, único brasileiro a conquistar a Medalha Fields — prêmio internacional conhecido como o “Nobel da matemática” —, falou sobre sua expe­riên­cia como aluno do Impa, uma das ilhas de excelência no sistema educacional brasileiro. A constatação: a má gestão da rede de ensino e as dificuldades causadas pela burocracia do setor público atrapalham muito o desenvolvimento da educação.

De fato, apesar de ter conseguido, nas últimas décadas, universalizar o acesso à educação básica, o Brasil está muito atrasado nesse setor. Para ficar em alguns números: mais de 60% dos estudantes brasileiros não dominam o suficiente de matemática para resolver uma equação de 1o grau.

Nos países desenvolvidos, a parcela dos alunos com essa dificuldade é de 23%, segundo dados da Organização para a Coope­ração e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Apenas um terço dos brasileiros acima de 25 anos completou o ensino médio. Nossa escolaridade média é de 7,2 anos de estudo.

“É um indicador semelhante ao de países mais pobres, com renda per capita de 7 000 dólares, metade da brasileira”, diz Paes de Barros, do Insper. Não se pode atribuir a dificuldade de elevar o nível das escolas à falta de dinheiro.

O investimento público em educação no Brasil é de quase 6% do PIB por ano, superior ao de nações como o Chile, cujos estudantes superam os brasileiros no Pisa, teste internacional de qualidade da educação organizado pela OCDE. A questão principal, porém, é saber aplicar bem os recursos disponíveis.

É um desafio que se torna ainda mais urgente num momento em que o país atravessa uma severa crise fiscal e que os planos para aumentar o orçamento da educação têm tudo para fazer água. Uma das metas do Plano Nacional de Educação, sancionado pela presidenteDilma Rousseff em junho do ano passado, é elevar os repasses à área para 10% do PIB até 2024.

Os recursos adicionais deveriam vir da exploração do petróleo da camada do pré-sal. Nos estudos para a lei, feitos no início da década, considerou-se o preço médio do barril acima de 100 dólares — hoje, a cotação é menos da metade disso. “Cumprir a meta não vai ser fácil”, diz o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, que fez a palestra de abertura do evento.

Um ponto de partida é melhorar a qualidade dos professores. “Um bom currículo e material didático de qualidade só são eficazes nas mãos de um profissional competente”, afirma Barbara Bruns, do Banco Mundial. De 2009 a 2013, Barbara coordenou um estudo de observação em 15 000 salas de aula, metade delas no Brasil.

A pesquisa deu origem ao livro Professores Excelentes, publicado no ano passado, que compara o desempenho de profissionais de escolas públicas de sete países latino-americanos e do Caribe. As conclusões são desanimadoras.

Aqui, os professores perdem, em média, um terço do tempo de aula tratando de impor disciplina à classe, executando tarefas burocráticas, como o preenchimento de listas de chamada, ou mesmo fora da sala. Em comparação, nos países desenvolvidos as atividades que não estão relacionadas à transmissão de conteúdo levam metade desse tempo.

Um professor brasileiro consegue reter a atenção da classe inteira por apenas 23% do tempo — ou em 11 dos 50 minutos de aula. A média na OCDE é ter os estudantes concentrados durante 80% do tempo. Premiar os melhores professores e facilitar a demissão dos que mostram não ter vocação para ensinar ajudaria a mudar esse estado de coisas.

O Chile vem trilhando esse caminho. Em 2005, o governo chileno implantou um programa de avaliação anual de professores. De lá para cá, mais 70 000 docentes já se submeteram aos testes. Pelas regras, o salário de um profissional aumenta em caso de boa avaliação. Quem fica mal colocado em duas avaliações consecutivas é demitido.

Em uma década, o Chile elevou de 60% para 77% a parcela dos professores considerados competentes. Os de baixo desempenho em sala de aula atualmente correspondem a apenas 1% do total — um terço do que eram em 2005.

Em 2012, os estudantes chilenos fizeram, em média, 423 pontos em matemática no Pisa, 12 pontos mais do que em 2006, uma das melhorias mais expressivas entre os 65 países avaliados. Numa escala menor, algumas expe­riências de avaliação no Brasil começam a apresentar resultados animadores.

Que o digam os 4 000 estudantes de Cariré, município cearense a 270 quilômetros de Fortaleza. Nos últimos sete anos, a rede municipal de ensino teve o maior avanço no Ideb entre os 5 561 municípios brasileiros. Há sete anos, a nota média dos estudantes do 1o ao 5o ano era 3, uma das piores do Ceará. Em 2013, a cidade alcançou a média de 7,4 — a 17a mais alta entre as cidades do Brasil todo.

As melhorias co­meçaram com a adoção de um currículounificado nas 21 escolas e a implantação de um sistema de avaliação mensal dos alunos. “Se uma turma foi mal num assunto, o professor recebe aulas de reforço para melhorar o jeito como passa o conteúdo”, diz Virgina Souza, secretária de Educação de Cariré.

A 212 quilômetros de Cariré, também no sertão cearense, o município de Novo Oriente viu sua nota média no Ideb melhorar 124% nos últimos sete anos. Atualmente, a nota está em 7,6, o que lhe confere o oitavo lugar entre os melhores ensinos públicos do país. A mudança começou em 2009, após uma avaliação dos 300 professores com base em indicadores como experiência e notas dos estudantes.

Os 13 melhores mestres foram retirados de sala de aula. Loucura? Nem tanto. Esses professores formam atualmente uma equipe de tutores. A função deles é visitar as 25 escolas públicas da cidade, assistir às aulas e conversar com pais de alunos. Com base nas observações, eles elaboram relatórios, utilizados em sessões periódicas de avaliação.

“Procuramos averiguar se o professor segue o currículo, tem domínio da turma e monta uma aula inspiradora”, diz Joseronisia Alves de Araújo, professora há 20 anos e chefe dos tutores. “Em caso de mau desempenho, podemos mudar o profissional de turma ou, numa situação extrema, afastá-lo.”

Em novembro, Novo Oriente deve começar a premiar com bônus os professores bem avaliados por tutores, colegas, pais e alunos. “É a meritocracia em sala de aula”, diz Ana Cynthia Fernandes, secretária municipal de Educação. Nas duas cidades cearenses, a melhoria dos resultados começou com a iniciativa de gestores que adotaram experiências que já davam certo.

Trata-se de um desafio no Brasil, segundo os especialistas reunidos no EXAME Fórum Educação. O país já avançou ao implantar ferramentas como o Ideb para mensurar resultados. “Mas o MEC divulga pouco as boas práticas de quem está indo bem no Ideb”, diz Paes de Barros. “Falta disseminar as iniciativas que merecem ser copiadas.”

A culpa está, em boa medida, nas amarras do Estado. “As instituições públicas sofrem com o excesso de regulamentação”, afirma Fernando Sakane, reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica. O ITA conseguiu se tornar uma das melhores escolas de engenharia do país justamente por se livrar de parte das amarras.

Na origem, na década de 40, a instituição contratou professores do Massachusetts Institute of Technology (MIT), um dos centros de excelência americanos, para criar aqui um centro de pesquisa em engenharia aeronáutica. Até hoje, o ITA mantém certo grau de liberdade por não estar vinculado às regras do Ministério da Educação, mas ao Ministério da Defesa.

Outro exemplo é o Impa. Fundado em 1952, nos anos seguintes o instituto tornou-se um órgão federal cuja missão é disseminar o ensino de ciências exatas. Mas sua vocação só foi plenamente desenvolvida a partir de 2000, quando a gestão foi repassada pelo governo a um grupo de matemáticos num modelo de entidade privada sem fins lucrativos autorizada a prestar serviços ao governo.

“Nosso contrato com o Ministério da Ciência e Tecnologia tem metas claras de desempenho”, diz César Camacho, diretor-geral do Impa. Com esse arranjo, o Impa ganhou mais liberdade para contratar pesquisadores estrangeiros. Também conseguiu gerir melhor o orçamento. Assim, foi possível montar a Olimpíada de Matemática nas escolas públicas.

O orçamento da Olimpíada varia de acordo com o número de participantes. Foi no Impa que se formou o matemático Artur Ávila, que em 2014 se tornou o primeiro brasileiro a ganhar o “Nobel da matemática”. Não faltam bons exemplos no Brasil. Basta copiar as lições que eles oferecem.


TRÂNSITO & CIDADANIA: PRF leva educação para o trânsito às escolas

Ação preventiva aos acidentes.

Escolas de Piripiri Professores 02 de outubro de 2015 01:57h

Na tarde desta quarta-feira (30), os agentes da Polícia Rodoviária Federal/Piripiri, Adanai Freire e Kenmuel Maciel, realizaram na Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa (Pé do Morro), palestra de educação para o trânsito voltada para alunos, professores e prestadores de serviço do transporte escolar.

Esta iniciativa tem por base dados da PRF que indicam ser a população mais jovem aquela vitimada em maior número pelos acidentes de trânsito nas rodovias federais. Para a PRF “este dado estatístico representa preocupação já que se relaciona ao contingente formador da força de trabalho ativa da nação que está sendo dizimada pela violência no trânsito”.

Tendo em vista as determinações do Código de Trânsito Brasileiro acerca da educação para o trânsito, a PRF toma como aliada da fiscalização atividades educativas de trânsito. Com isto espera promover a conscientização acerca dos riscos do trânsito e provocar a mudança de atitude nos condut6ores de veículos, passageiros, ciclistas e pedestres, além de levar esclarecimento sobre as regras para a direção com segurança.

As atividades de educação para o trânsito fazem parte do calendário anual das atividades da PRF e serão desenvolvidas em caráter rotineiro ao longo das rodovias na modalidade Cinema Rodoviário. Por outro lado, qualquer instituição pública ou privada que pretenda implementar no seu ambiente este tipo de ação preventiva e de proteção à vida das pessoas pode encaminhar solicitação à Polícia Rodoviária Federal de Piripiri.


Dia da Árvore: Escolas tem programação lúdica e plantio de mudas em Piripiri

Professores e alunos fizeram o plantio de mudas nas escolas.

Escolas de Piripiri Professores 21 de setembro de 2015 21:34h

plantio das mudas na Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa.

Diretor Dirceu Martins e alunos fazendo o plantio das mudas na Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa.

O Dia da Árvore, celebrado nesta segunda-feira (21), teve uma programação extensa nas escolas do município de Piripiri. Fora da sala de aula, professores e alunos fizeram o plantio de mudas nas imediações. 

"O importante, além de fazermos o plantio,  é respeitar as árvores, pois elas garantem nossa própria existência. Ela protege a terra com suas raízes, nos aconchega em sua sombra, mantém o ar úmido e o melhor, produz oxigênio para todos os seres da natureza" Escola Municipal Professor Antonio Nunes de Sousa, Dirceu Martins.

 As escolas tiveram o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente na pessoa da Secretária Meirian Castro.

Plantio de mudas na Escola C.E Sinhara Castro.

Escola Baurélio Mangabeira

Professora Maria Hermínia com os alunos do 1º ano apresentando as árvores de pequeno porte da Escola Prof Antonio Nunes de Sousa.

Diretor Isaías Souza com o aluno Igor do 2º ano.

07 DE SETEMBRO: Escolas participam do desfile cívico na Avenida Tomaz Rebelo

Milhares de pessoas assistiram ao desfile de 7 de Setembro em Piripiri.

Escolas de Piripiri Professores 08 de setembro de 2015 18:37h

A Avenida Tomaz Rebelo voltou a ser palco do 7 de setembro na cidade. Escolas chamaram a atenção do público no desfile: com as divulgação de seus projetos e atividades práticas que beneficiam o desenvolvimento cognitivo e físico. Outras entidades também participaram. 

III Encontro de Matemática em Capitão de Campos: "A cidade que respira OBMEP"

Premiação e aulas preparatórias para a 2ª fase da OBMEP.

Escolas de Piripiri Professores 05 de setembro de 2015 23:12h

Aconteceu durante todo o dia de hoje (05/09) o III Encontro de Matemática promovido pelos professores que compõe o Projeto " Caravana da Educação" em Capitão de Campos - PI. A cidade que respira OBMEP mais uma vez reuniu alunos e professores  das cidades circunvizinhas para discutir questões, dar dicas e principalmente incentiva a participação de todos na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. 

O idealizador do Projeto, professore Werberty Ney Araujo Costa, juntamente com uma competente equipe de professores: Antonio Marcos, Jackson Oliveira, Paulo Henrique, Clenilson Araujo, Cícero Francisco, Edilson Lopes, João Borges etc, se disponibilizaram gratuitamente para a concretização desta grande ação em benefício dos alunos que propõe a conquistar seu espaço, a conquistar melhores condições de vida através da educação, e por que não dizer, através da Matemática. 

No evento, aconteceram a premiação de alunos medalhistas na OBMEP 2014 e professores.

Participação da Escola da Formosa -  Piripiri.

Secretária de Educação participando e premiando alunos medalhistas.

Professor Jackson recebendo o Certificado da premiado pela medalhista de Ouro de Capitão de Campos.

Diretora Rosangela (Padre Freitas - Piripiri) participando da premiação no III Encontro de Matemática.